Olhar Conceito

Terça-feira, 24 de maio de 2022

Notícias | Música

Mestre da cultura

Rei do lambadão, Chico Gil foi garimpeiro em Poconé antes de emplacar sucessos na Baixada Cuiabana

Foto: Acervo Daiana Emilia

Rei do lambadão, Chico Gil foi garimpeiro em Poconé antes de emplacar sucessos na Baixada Cuiabana
O regionalíssimo lambadão tem inúmeros nomes que embalaram sucessos nas décadas passadas, mas há quem ganhou o título de rei. Natural de Poconé (a 109 km de Cuiabá), Chico Gil foi filãozeiro em garimpo antes de lançar em 1995 “Seresta Matogrossense”, seu disco de estreia composto por 12 faixas, que deu início ao seu reinado no lambadão.

Leia também:
Acreditando no potencial econômico de Chapada, Grupo Cerrado lançará condomínio de alto padrão no município

"O Zé Moraes foi o cara que promoveu a fusão do rasqueado cuiabano com a lambada paraense e o carimbó; o Junior foi quem aumentou o BPM [batidas por minuto] da bateria para o novo ritmo. Então foram os dois, juntos, que formularam a composição do lambadão que conhecemos com Chico Gil", explica a jornalista e mestre em Cultura Contemporânea, Lidiane Barros.

Em menos de uma década, o cantor e letrista Chico Gil orquestrou shows, formatou padrões artísticos e compôs hits. Sua música está eternizada em fitas cassete gravadas em quintais de Poconé, no início da carreira – embora não se saiba o paradeiro – e em três álbuns oficiais.

“Chico Gil”, o segundo álbum do rei do lambadão, foi lançado apenas em 1997, dois anos depois de “Seresta Matogrossense”. Já o terceiro disco, “Amor do Lambadão”, só foi lançado em 2000, ano em que Chico faleceu em um trágico acidente de carro quando viajava para apresentações no interior. Os três discos estão disponíveis no Spotify e YouTube.

Segundo Lidiane, foram os dois músicos os responsáveis por incentivar Chico Gil, parceiros na banda Novo Espaço, a investir no Lambadão.  “Foi pra eles que o Chico Gil apresentou suas primeiras composições, ‘Morena Pequena’ e ‘Telefone’, assim como o hino ‘Ei, Amigo’”.

Por sua contribuição para a popularização do ritmo, virou rei. Sua paixão pela música e suas iniciativas ajudaram a projetar uma nova indústria fonográfica da música popular, calcada em sistemas não-oficiais de produção e comércio, em pleno solo mato-grossense.

Mestre da Cultura

Cerca de 22 anos depois de sua morte, Chico Gil será homenageado como Mestre da Cultura de Mato Grosso em projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc, por meio de edital da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

O projeto será lançado na próxima quinta-feira (27) em live show de clássicos de Chico Gil, com os pioneiros do gênero musical: Júnior Magrão e Zé Moraes, considerado o “pai do Lambadão”. A transmissão ao vivo será realizada direto de Poconé, às 19h30, pelo canal oficial do projeto no Youtube.

O show virtual é mais um produto que fica à disposição das próximas gerações que desejarem conhecer mais sobre os primórdios do lambadão, ritmo que desde a década de 90 embala festas em quintais, casas de shows e festas de santo da Baixada Cuiabana.

Serviço

Sua Majestade, Chico Gil
Lançamento: 27 de janeiro de 2022 (quinta-feira), às 19h30, no Canal do Youtube.
Youtube - InstagramFacebook
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet