Olhar Conceito

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Notícias | Diversão e Lazer

Novo esporte em MT

Recém-criada, Federação Mato-Grossense de Skate se filia à Confederação Brasileira

Foto: Assessoria

Recém-criada, Federação Mato-Grossense de Skate se filia à Confederação Brasileira
A Federação Mato-grossense de Skate (FMTSK), criada em 2022 e representada pelo presidente Bob Peron e a vice-presidente Estefania Lima, se filiou à Confederação Brasileira de Skate (CBSk) durante uma Assembleia Geral realizada em 9 de dezembro. 


Leia também:
Pipoca Vip, pequena capoeirista de 14 anos conquista segundo lugar em premiação internacional

A iniciativa de criação de uma federação no estado acontece há muitos anos, entretanto, por conta da necessidade de um número mínimo de 3 associações, só foi possível em 2022 com o apoio da Associação Rondonopolitana de Skate, a Escolinha de Skate do Bob e da Associação Mato-grossense de Skate.

Uma Federação é uma organização não governamental que agrega todos os envolvidos em determinada modalidade, como atletas, árbitros, ligas profissionais e outras entidades. Ela representa os afiliados em instâncias superiores, como organizações desportivas nacionais e internacionais. Hoje, no total são 20 federações filiadas a CBSk e a meta é que todos os estados possuam uma federação filiada para representá-los.

"As entidades filiadas cumprem um papel muito importante, que é trabalhar a cena do skate regionalmente e trazer as influências para a administração nacional. Nos casos de estados localizados em regiões como Norte, Nordeste e Centro-Oeste, essa atuação é ainda mais importante já que ainda não estamos presentes em todos os estados. A meta dessa administração é garantir que todos os estados brasileiros tenham representatividade institucional junto à CBSk. Esse é o caminho para fazermos o skate brasileiro cada vez mais forte.", declara Eduardo Musa, presidente da CBSk.

À respeito da participação efetiva de Mato Grosso na cena do skate nacional, Estefânia Lima, a vice-presidente da FMTSK, ressalta que a parte burocrática do esporte é um dos maiores empecilhos, já que, na maioria das vezes, ele é praticado de maneira informal: "Então a meta é que cada vez mais skatistas tenham acesso a cursos capacitadores e oportunidades para se tornarem aptos a estarem ligados à parte mais burocrática do skate, principalmente a importância de ter mulheres ocupando esses espaços e trazendo mais representatividade para a cena do skate feminino/queer.", afirma.

Um dos principais objetivos da federação para 2023 é garantir o Circuito Skate Music e trazer recursos para o Circuito Mato-grossense de Skate: “A Federação é de extrema importância para que isso se torne possível. Além disso, trabalhamos na construção de novas pistas visando trazer etapas de competições importantes como o próprio campeonato brasileiro de skate e quem sabe até uma etapa do mundial. Colocar o Centro-Oeste no eixo do skate nacional é uma de nossas maiores metas e desafios.", relata Bob Peron, presidente da FMTSK. (COM INFORMAÇÕES DA ASSESSORIA)
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet