Olhar Conceito

Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Notícias | Perfil

CONHEÇA ROQUELINA

Musicista baiana toca violino nas ruas de Cuiabá e agradece hospitalidade: 'muito bem recebida'

Foto: Olhar Direto

Musicista baiana toca violino nas ruas de Cuiabá e agradece hospitalidade: 'muito bem recebida'
Uma baiana apaixonada por música que aprendeu a tocar violino sozinha já com seus 30 e poucos anos, resolve levar mais alegria e paz para as pessoas na rua. Essa é Roquelina Araújo do Carmo, nascida em Feira de Santana, que veio para Cuiabá no final de 2021, com o objetivo de apresentar o instrumento, considerado ‘erudito’, para quem circula nas ruas da cidade. Ao Olhar Conceito, a musicista conta um pouco sobre sua história e o que a trouxe à capital mato-grossense.


Leia mais:
Final de semana agitado em Cuiabá tem Gusttavo Lima, inaugurações e shows autorais pela cidade

“Eu sou estudante da religião Cultura Racional, o Universo em Desencanto, e lá em Feira de Santana, eles têm uma banda tipo fanfarra mesmo, com todos os instrumentos. Eu tocava o tarol, e quando eu vi o violino, achei que nunca fosse conseguir tocar ele e ficava só olhando. Até que resolveram me dar o violino e comecei a aprender sozinha, onde eram as notas e tudo mais. Não tinha condições de pagar um professor nem nada”, conta Roquelina.

A baiana ressalta ainda que tinha uma visão que o instrumento era muito difícil de tocar e que não era para todo mundo, por questões financeiras. “Muitos falam que o violino é para pessoas sofisticadas, mas eu quis provar que eu também posso, que qualquer consegue, se quiser”.

E após aprender a realmente tocar o instrumento, Roquelina teve a ideia de começar a tocar na rua, para tentar aproximar a comunidade do violino. “Muita gente fica curiosa, quer pegar no violino porque nunca pegou”. Para a musicista, ela serve como um incentivo para muitos que gostariam de aprender a tocar algum instrumento musical ou até mesmo fazer algo diferente.

“Para mim, o principal de tudo é que a gente quer ser útil de alguma forma para a humanidade. E eu queria fazer uma coisa que pudesse realmente chegar nas pessoas. Aí veio a ideia de ser artista de rua, porque por meio da música eu consigo levar um pouco de paz, tranquilidade e alegria para quem ouve. Muita gente para, me escuta tocando e até se emociona. E esse é o meu objetivo”, conta animada.

E por que Cuiabá? A baiana conta que por conta da religião, acabou conhecendo algumas pessoas da cidade e viu que era tudo muito diferente. “Como eu queria levar mais para as pessoas, vim parar aqui em Cuiabá. Eu vim do zero, coloquei minha mochila nas costas, peguei o violino e vim”.

Roquelina veio para a capital mato-grossense no final de 2021, após passar cerca de quatro anos tocando nas ruas de Feira de Santana e cidades da Bahia. Ela também ficou conhecida na região e participou de alguns eventos a convite de organizadores.

Em Cuiabá, ela mora numa quitinete, sozinha, no bairro CPA 2. A baiana conta que se vira para viver, pois a música é uma área muito difícil. “Tudo que pinta eu vou fazendo. Mas o meu trabalho na rua eu continuo, porque o meu objetivo é esse aqui”.

Para a artista, o mais importante é o sentimento que ela consegue despertar nas pessoas e não a recompensa financeira. No entanto, ela aceita os “trocadinhos” de quem quer ajudar.

“O que o artista tem, que carregamos no nosso coração, é o sentimento, é levar amor, levar arte, e isso não tem preço, valor nenhum que pague isso. Quando você faz alguma coisa que vem de dentro de você, com amor, supera tudo. Eu tenha muitas dificuldades de levar isso como um trabalho remunerado [...] Eu quero estar onde o povo está, e faço com amor, supero tudo para fazer isso, independente do que for. É o único bem que podemos deixar para a humanidade”, disse Roquelina.

Para finalizar, a baiana elogiou o povo cuiabano e a receptividade na cidade. “Eu senti nas pessoas de Cuiabá, pessoas humanas, de coração aberto, que me receberam muito bem e de braços abertos. Todos os lugares que eu cheguei aqui, fui bem acolhida, em todos os pontos que eu vou. E em especial, o pessoal aqui do CPA 2 (vendedores ambulantes) que me dão o maior apoio. Quero agradecer a todos”.

Roquelina tem alguns pontos fixos para se apresentar com músicas de diversos gêneros, desde as populares como as eruditas. Sempre à tarde, a artista transita pela Praça Alencastro, no centro da cidade; em frente ao Banco do Brasil, no CPA 2; no Parque das Águas e outros locais.

Para quem tiver interesse em conhecer o trabalho dela, o perfil no Instagram é o @roquelina_roq e o contato de Whatsapp é o (65) 99348-5249. Para doações, o PIX é o (75) 99243-7971.
 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet