Olhar Conceito

Quarta-feira, 22 de maio de 2024

Notícias | Moda

loja tereré sertanejo

Botas decoradas, chapéus e bodys estampados: Ana Castela dita tendência na moda country em MT

Foto: Bruna Barbosa/Olhar Direto

Botas decoradas, chapéus e bodys estampados: Ana Castela dita tendência na moda country em MT
O policial militar César Fernando da Silva Nunes, de 46 anos, se define como apaixonado pela moda country e sertaneja. Ainda na adolescência mergulhou de vez no universo das botas, fivelas e chapéus, peças que costuma usar no dia a dia. O amor que tem pelo estilo fez nascer o desejo de abrir uma loja para vender as peças. Desejo que realizou ao lado da esposa, Aline de Amorim Nunes, que hoje administra a Tereré Sertanejo, na avenida Couto Magalhães, em Várzea Grande. 


Leia também 
Rosto do ‘Bingay’, jovem se divide entre aulas de enfermagem e arte drag nas noites cuiabanas


Desde que começaram a vender as peças de moda country femininas e masculinas, Aline notou várias mudanças nas tendências, mas garante que o "simples e bruto" ainda continua sendo o mais vendido. Entre as mulheres, a influência da cantora Ana Castelo foi um divisor de águas. 

Agora, elas buscam pelos mesmos chapéus, botas e bodys que são usados pela cantora. César pega uma das duas últimas unidades de um chapéu preto com detalhes de costura em branco da marca Eldorado, enquanto mostra os detalhes, ele explica que o acessório é motivo de frisson entre as fãs da cantora.

Aline conta que sempre que volta para o estoque, não demora para o chapéu ficar esgotado novamente. Em uma das paredes do estabelecimento, dezenas de bodys com estampas de cavalos, aplicações de pedrinhas brilhantes e imagens de Nossa Senhora chamam atenção. 

"Ela provocou muito essa mudança na moda country nos últimos tempos. Agora buscam por mais peças com franjas, bodys e peças com transparência que ela usa". 

A loja que vende ervas de tereré de sabores e tipos variados, além dos acessórios como cuia e bomba para tereré ou chimarrão, funciona há cinco anos no mesmo ponto. 


De peças clássicas às personalizadas, loja busca atender aos gostos dos clientes apaixonados por moda country. (Foto: Bruna Barbosa/Olhar Direto)

Com o sucesso da moda country em Cuiabá e Várzea Grande, o casal aumentou o estabelecimento, que começou apenas com "uma portinha". Apesar de ainda terem botas e peças mais simples ou sem estampas, o casal conta que a fama de Ana Castela causou mudança na tendência de moda country. 

“As botas coloridas e enfeitadas, por exemplo, não são apenas pessoas do universo country que gostam de usar. Elas podem ser usadas por qualquer pessoa e de qualquer forma. Aqui na loja vêm pessoas de todos os estilos. Tenho clientes que nem tinham o hábito de andar a caráter, mas de tanto virem aqui para comprar tereré começaram a entrar na moda country”. 

Outra tendência são as roupas idênticas feitas para look “mãe e filha” ou “pai e filho”. César conta que entre maio e agosto, a loja fica lotada de clientes em busca de peças de roupas country para festas juninas. 

“Temos várias botinhas infantis no estoque. Os pais que compraram no ano passado, agora voltam, porque as antigas já não servem mais. Então, em junho a loja começa a ficar lotada de pais e crianças. A procura aumenta muito”. 

Além do período junino, o PM e empresário explica que com o aumento da realização de shows sertanejos e feiras agropecuárias em Mato Grosso, o movimento na loja também cresceu.

“Agora estamos tendo a Semana do Cavalo, então as pessoas procuram para comprar a roupa. Querem se vestir a caráter mesmo. Tenho um casal de amigos que são evangélicos, nunca usaram roupa country, mas foram a um show do Gusttavo Lima com amigos e decidiram ir a caráter. Hoje sempre vem aqui”. 

Sorridente, César conta que a movimentação da loja e a chegada de novos adeptos do universo country é a realização de um sonho. Hoje, além de entregar as peças para clientes de todo o Brasil, a Tereré Sertanejo também faz envios internacionais. 

“Começamos com quatro baldes de erva de tereré à granel, além dos pacotes. Começamos a trabalhar com isso e foi girando. Graças a Deus minha esposa é muito dedicada no que faz. Deixei na mão dela, não posso ficar muito tempo aqui por conta do emprego como PM. Então, agradeço muito a ela quando olho onde chegamos, porque isso é graças a ela”.
 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet