Olhar Conceito

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Notícias | Música

'motumbá'

Pacha Ana lança terceiro álbum da carreira com inspiração nas cantoras negras da música brasileira

Foto: Maria Reis

Pacha Ana lança terceiro álbum da carreira com inspiração nas cantoras negras da música brasileira
A cantora mato-grossense Pacha Ana lançou o terceiro álbum da carreira nesta sexta-feira (3), com composições que são fruto das vivências no candombé e umbanda, culturas milenares que fazem parte do cotidiano da rapper desde que ela começou a cantar. Em Yorubá, Motumbá significa "A benção". 


Leia também
Cemitério da Piedade tem mausoléu de família tradicional, túmulo de menino milagreiro e de líder umbandista

Depois de lançar, Omo Oyá (2018) e Suor & Melanina (2021), Pacha Ana promete que os ouvintes vão notar não apenas sonora mas também lírica. Mais madura e experiente, dessa vez ela traz canções cheias de sentimentos, vindas de suas raízes, dos encontros com o sagrado, um som sério e profundo, porém leve e dançante. 

Com sete faixas, as sonoridades do álbum ecoam influências de ritmos afro-brasileiros como samba de terreiro, ijexá, carimbó e pontos cantados, aprendidos em seu terreiro. A produção musical é de Paulo Monarco, arranjos por Matheus Farias, com a participação de Paulinho Nascimento nas frequências graves pelas cordas do contra baixo e baixo acústico, e Virgílio Batukada assinando a percussão.

Além das práticas de matriz africanas, as inspirações vem de cantoras negras da música brasileira como Luedji Luna, Xênia França, Juçara Marçal, Mc Tha, Leci Brandão e nomes importantes que já não estão mais entre nós como: Clara Nunes, Serena Assunção e outras grandes guerreiras que fizeram história cantando sua verdade, em um tempo onde cultuar Orixás e se afirmar como povo de terreiro, ainda era tabu e motivo de perseguição.

A produção do disco foi financiada pela Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer do Estado do Mato Grosso (SECEL) através das Leis de incentivo à cultura, através do projeto Conexão das Artes, realizado pelo Instituto Casarão das Artes, e contou também com apoio do Favelativa, instituição na qual a artista realiza desde 2016 projetos sociais tendo como ferramentas de trabalho como tema a música, poesia e sua religiosidade.

 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet