Olhar Conceito

Sábado, 18 de maio de 2024

Notícias | Gastronomia

mais de 20 sabores

Receita criada por casal: pipoca doce gourmet feita com milho mushroom faz sucesso em Cuiabá

Foto: Reprodução

Receita criada por casal: pipoca doce gourmet feita com milho mushroom faz sucesso em Cuiabá
Quando fez a primeira receita de pipoca doce, a servidora pública Andreia Mitsue Miyashita, de 32 anos, usou uma receita simples, encontrada na internet, para o aniversário do filho em 2019, mas se surpreendeu quando viu a produção caseira se tornar a principal fonte de renda da casa. Atualmente, ela e o marido, William Nascimento, de 35, administram a Pipocake, que ganhou sede própria e passou a atender eventos, como festas infantis. 


Leia também 
Atenção aos sinais fez com que mãe identificasse autismo no primeiro banho do filho: 'sinto que o salvei'

Andreia brinca que foi “escolhida” pela pipoca doce, já que tudo aconteceu de forma rápida e por acaso. Na época, a servidora pública buscava por uma alternativa para conseguir passar mais tempo com o filho e, para isso, começou apostando em uma renda extra. 

“Estourava pipoca a noite e vendia no trabalho, porque lá tinha uma quantidade de pessoas que acreditava que comprariam e seria suficiente para mim, naquela época. Só que fiquei surpresa com a quantidade de pipocas que conseguia vender, no início fiz sete pacotes, depois fiz 20 e foi saindo muito rápido. Foi quando começamos a ter um olhar diferente para a situação, porque a priori não era intenção a gente empreender, eu tinha meu trabalho e meu marido tinha o dele na época”. 

Com o aumento da demanda de pedidos, Andreia precisou turbinar a produção de pipocas doces e, para isso, precisou da ajuda do marido, que deixou o emprego que tinha na época para se dedicar ao empreendimento familiar. Não demorou para que o casal identificasse a necessidade de uma sede para a Pipocake. 

“Quando começamos a trabalhar demais em casa, não estávamos dando mais conta, ela vendia no serviço público e tudo que a gente produzia, vendia. A gente trabalhava de noite e de madrugada, comecei a pensar que não estava mais dando certo, estava ficando bagunçado e resolvemos profissionalizar. Aí fomos buscar cursos e transformamos em um negócio, de fato”, conta William. 
 

Milho mushroom e sabores especiais 

Diferente da pipoca doce que fez para o aniversário do filho, elogiada por amigas que incentivaram Andreia a investir na venda, o aumento dos pedidos também fez com que o casal mudasse a receita, começando pelo milho usado na produção. William explica que eles optaram pelo uso tipo “mushroom”. 

Por ter menos casca, o milho mushroom forma pipoca maior, mais crocante e com melhor rendimento, além de ter o formato mais arredondado. “A gente carameliza e finalizamos com cobertura, pode ser chocolate, por exemplo. Temos também as pipocas ‘secas’, que são caramelo e coco, flor de sal e castanha ou bacon com pimenta. A que tem mais saída é de leite ninho”. 

De seis sabores, a Pipocake saltou para mais de 20. Andreia explica que, atualmente, os 16 mais pedidos estão no cardápio fixo. Além disso, a empresa que começou na casa da família funciona na sede própria, no bairro Dom Aquino, ao lado do Bar do Jarbas, onde os pedidos também podem ser retirados presencialmente. 



“Disparado, a gente sabe que as que mais saem são de Ninho e Ovomaltine, por conta do público infantil. Mas dos sabores que temos, o que mais surpreendeu e vemos que tem uma saída muito interessante é a de Bacon Chilli, vai caramelo, bacon e pimenta. Para mim, é surpreendente a saída do sabor Flor de Sal com Caramelo e Castanha, ela sai muito mais que sabores tradicionais. Ela é doce com salgado e tem muita gente que gosta”, conta Andreia. 

“As pessoas depois que experimentam passam a fidelizar e comprar mais, ela é doce por conta do caramelo, uma mistura de doce com salgado”, completa o marido. 

Com o crescimento da produção, a Pipocake também começou a receber demandas de eventos e, como diferencial no mercado, o casal decidiu investir em carrinhos de pipoca, fazendo com que, além do produto, a empresa entrasse no ramo de serviço. 

“Temos três carrinhos. A ideia, na verdade, é como estamos bem estabilizados nos eventos, temos uma frequência boa, resolvemos investir nos carrinhos para diversificar a forma de vender nossas pipocas nos eventos mesmo. Foi um acerto muito bom, porque desde que adquirimos eles, temos saída quase toda semana para aniversários e eventos no geral mesmo”. 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet