Olhar Conceito

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Notícias | Comportamento

resgatada na Paraíba

Aos 52 anos, elefanta Lady é eutanasiada em santuário de Chapada dos Guimarães

Foto: Reprodução

Aos 52 anos, elefanta Lady é eutanasiada em santuário de Chapada dos Guimarães
A elefanta Lady, que foi resgatada após denúncias de que sofria maus-tratos no Parque da Bica, em João Pessoa (PB), morreu na noite dessa quinta-feira (15), no Santuário dos Elefantes Brasil, em Chapada dos Guimarães (a 64 km de Cuiabá). Lady passou por uma eutanásia quando os veterinários do local constarem que ela havia se deitado perto de uma árvore e não demonstrava interesse em levantar. 


Leia também 
Jornalista cria 'museu virtual' com imagens que mostram passado: 'saudosismo e resgate da história'


"Antes de se deitar, parte de sua rotina era receber analgésicos três vezes ao dia. Uma pessoa da equipe estava com ela às 22h de segunda-feira e ela estava parada ao lado da grande e linda árvore no primeiro recinto do habitat para machos asiáticos; ela costumava encostar a parte traseira no tronco da árvore e dormir. Às 6h, ela foi encontrada deitada no segundo recinto do mesmo habitat. Verificamos para ter certeza de que ela estava viva, mas ela estava parada e quieta e não deu qualquer indicação de que queria fazer outra coisa senão ficar onde estava", diz trecho da nota. 

A eutanásia foi confirmada pelo santuário. A história da elefanta foi contada no documentário "Cativeiro", que fala sobre confinamento e liberdade. A produção está disponível no YouTube. Antes de ser levada para o Parque da Bica em 2014, Lady passou quase 40 anos em circos, percorrendo o país para apresentações. 

A elefanta nasceu em cativeiro e era uma das principais atrações do Circo Europeu Internacional até ser doada à Prefeitura de João Pessoa. Há quatro anos, Lady morava no santuário em Chapada dos Guimarães. 

Em nota de pesar, o Santuário dos Elefantes Brasil contou que há seis meses Lady foi acometida por mais uma crise de inflamação, a mais recente delas. "Ela teve uma pequena recuperação quando começamos um remédio homeopático; ela conseguia dobrar os cotovelos e deitar-se novamente. Mas essa recuperação durou pouco e começou a tornar-se evidente que poderíamos não ver a recuperação que esperávamos. Na semana passada, vimos uma mudança maior e aquelas coisas que faziam dela a Lady estavam começando a desaparecer lentamente". 

O santuário ressaltou que não tentou levantar a elefanta, já que a ação poderia prejudicá-la. "Não tentamos levantá-la; ela não estava se balançando para pegar impulso ou demonstrando interesse em se mexer. Tentar levantar um elefante, especialmente aquele que nunca foi levantado antes, pode causar grande estresse ao animal. Mas se eles não quiserem ficar de pé, tentar levantá-los só causará mais danos. Você não pode fazer um elefante ficar de pé nessa situação". 

No texto, eles contam que tentaram diversos tratamentos para a inflamação de Lady. Observando o estado das patas após o resgate, eles chegaram a conclusão de que, provavelmente, ela sofreu uma doença durante pelo menos duas décadas. 

Por conta dos problemas de saúde, a equipe do santuário chegou a pensar que ela não teria sequer mais um ano de vida. "Sua força e determinação e sua necessidade de conexão emocional com seus tratadores fizeram dela uma grande professora para todos nós. Ela sempre parecia saber o que queria e parecia a todos nós que ela estava pronta para se libertar da dor com a qual conviveu por tanto tempo. Ela era diferente de qualquer elefante que já encontramos e não esperamos ver outro como ela em nossa vida".
 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet