Olhar Conceito

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Notícias | Gastronomia

12 sabores e rodízio

Cuiabanos fazem fila em casa de caldos em noite que bateu 19ºC: ‘faço 70% a mais que o normal’

Foto: Bruna Barbosa/Olhar Conceito

Cuiabanos fazem fila em casa de caldos em noite que bateu 19ºC: ‘faço 70% a mais que o normal’
Em dias de frio, o proprietário da casa de caldos Empório do Sabor, Sebastião de Siqueira Pinto, de 64 anos, precisa aumentar a produção em até 70%. Na noite dessa segunda-feira (27), cuiabanos aguardavam em uma fila que chegou a dobrar a esquina da avenida Agrícola Paes de Barros, no bairro Cidade Alta, onde o restaurante funciona desde 2010. 


Leia também 
Festival Vambora libera ingressos a partir de R$ 15 e promoção para show de Marina Sena

“Quando faz frio chego a fabricar 70% a mais do que fabrico em dias normais. A gente trabalha até 23h, fazemos a limpeza e, no outro dia cedo, faço as compras para começar a fazer os caldos. Fazemos assim para abrir a noite com tudo pronto e quentinho”, conta o proprietário.

De acordo com registro do Instituto Nacional de Meteorologia do Brasil (Inmet), por volta de 20h, fazia 19ºC em Cuiabá. Na madrugada desta terça-feira (28), a cidade teve a segunda menor temperatura do ano, quando os termômetros marcaram 14ºC. 

Por conta do frio, dezenas de cuiabanos foram em busca da tradicional cumbuca de caldo no Empório do Sabor. São 12 sabores entre carne seca com banana, costela com mandioca, dobradinha, piranha, mojica, feijão, milho e legumes. Por R$ 38,90 é possível repetir quantas vezes aguentar. 

De sobremesa, Sebastian ainda vende pamonha doce com queijo e bolo de milho, que costuma ir para a vitrine ainda quente. 

A casa de caldos funciona de segunda a sábado, mas em dias de frio como Cuiabá tem vivido na última semana, Sebastião abre uma exceção e monta a bancada de caldos quentinhos também aos domingos. “Nesse domingo não descansamos, porque estava fazendo frio”, conta o goiano que já se considera cuiabano. 

Sebastião se mudou de Goiás com os pais em 1995. Membros da igreja Assembleia de Deus, eles se estabeleceram em Cuiabá, lugar em que o proprietário da casa de caldos criou as duas filhas. “Se estabilizaram aqui e se formaram aqui, uma é médica e a outra é dentista”, diz orgulhoso. 

Sebastião abriu a casa de caldos em 2010, mas é nos dias de frio que ele tem o maior movimento do restaurante. (Foto: Bruna Barbosa/Olhar Conceito)

Faça sol, chuva ou frio 

A ideia de abrir uma casa de caldos em uma cidade calorosa como Cuiabá causou estranheza aos mais próximos de Sebastião. Ele persistiu no empreendimento e, atualmente, possui uma clientela fiel que, mesmo em noites quentes, se sentam dentro do salão ou nas mesas da calçada para degustar os caldos do lugar. 

“Começamos fazendo o caldo de costela com mandioca, o pessoal pedia para eu fazer um caldo na igreja, gosto muito de cozinhar, depois fiz de frango. Surgiu a ideia de fazer uma casa de caldos, o povo falou: você está ficando doido, um lugar calor desse jeito e você quer montar uma casa de caldos? Mas estamos aqui, bem e satisfeitos”. 

 Foi em uma época de frio de junho que ele viu o movimento de clientes aumentar pela primeira vez. “Quando veio o frio de junho, foi a primeira vez que comecei a vender, porque as pessoas começaram a vir provar e viram que era gostoso, por isso vendemos caldo no calor também. Meu espaço aqui nos dias de frio fica pequeno, é muita gente.”
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet