Olhar Conceito

Quarta-feira, 17 de julho de 2024

Notícias | Cinema

três dias de exibições

Cineasta Viviane Ferreira é a homenageada da 7ª Mostra de Cinema Negro em Cuiabá

Foto: Reprodução

Cineasta Viviane Ferreira é a homenageada da 7ª Mostra de Cinema Negro em Cuiabá
Com atuação importante para o cinema negro brasileiro, a cineasta baiana Viviane Ferreira é a grande homenageada da 7ª edição da Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso. Durante os seis dias de programação, a Mostra também promoverá oficinas, mesas de discussões, mostra competitiva com o tema central "Territórios e Territorialidades: disputa de narrativas".


Leia também 
Grupo de maracatu cuiabano realiza ato público após intolerância: 'fomos ameaçados com barra de ferro'

Nascida em Salvador, Viviane Ferreira é Cineasta, ativista e advogada. Mestra em Políticas de Comunicação e Cultura pela Universidade de Brasília. Presidiu a APAN (Associação de Profissionais do Audiovisual Negro) de 2016 a março de 2021. Fundou as plataformas Raio Agency e o streaming Todesplay. Como também está presidente da SPCINE – empresa pública de fomento ao audiovisual na cidade de São Paulo. Além disso, é professora da cadeira de direção do curso de cinema e audiovisual da ESPM-SP.

Em seus trabalhos mais recentes, assina a co-direção do longa-metragem "Pessoas: viver para contar" (2019) e a direção e roteiro do longa-metragem "Um Dia Com Jerusa" (2020), premiado no Festival CIndie como Melhor Longa-Metragem e no Festival de Cinema de Caruaru 2020 com Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Atriz (Léa Garcia e Débora Marçal) e Melhor Direção de Arte, o qual também a consagrou como a segunda mulher negra a dirigir individualmente um longa de ficção no Brasil.

Umas das produções mais recente de Viviane é o longa "Ó Paí, Ó 2" (2023), no qual atuou como diretora e roteirista. Estrelado nos cinemas brasileiros, "Ó Paí Ó, 2" será exibido no encerramento da Mostra.

Oficinas gratuitas

As atividades Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso começam em 1º de julho, com oficinas gratuitas, trazendo debates sobre a produção e narrativas possíveis a partir do fazer no audiovisual. Para garantir a participação nas atividades de formação é preciso realizar as inscrições antecipadamente. Inscreva-se aqui.

A primeira atividade oferecida será a Oficina de Escrita Cinematográfica: Crítica como contaminação , ministrada por  Lorenna Rocha.  Os encontros acontecem on-line entre 1 e 3 de julho, das 19h30 às 21h30 (Horário de Brasília).

A oficina propõe a prática da crítica motivada pela curiosidade e relação com a diferença. Nos encontros serão discutidos como criar intimidade com imagens desconhecidas, como reelaborar escritos acerca de um repertório imagético comum e construir coletivamente a crítica cinematográfica como uma ferramenta fundamental para a documentação e historicização do cinema negro no Brasil. 

Lorena Rocha, ministrante da oficina, é historiadora (UFPE), crítica de cinema e programadora de mostras e festivais de cinema, cofundadora da INDETERMINAÇÕES, plataforma de investigação sobre o cinema negro e brasileiro e idealizadora e editora-chefe da revista câmarescura.

Outra oficina que será oferecida é a de Produção Executiva com Bethania Maia. Nas aulas serão abordados conteúdos sobre aspectos financeiros e logísticos da produção. Além de discutir como o produtor executivo é responsável por assegurar o financiamento, elaborar o orçamento, gerenciar cronogramas e coordenar as equipes de produção.  A oficina ocorrerá de 02 a 04 de julho, das 14h às 18h (Horário de Brasília).

Responsável pela oficina, Bethania Maia é produtora, curadora, programadora e júri de mostras e festivais desde 2011. Produtora executiva em projetos audiovisuais desde 2018, realizou clipes, curtas, longas, seminários e publicações.

É coidealizadora do Rastro - Festival de Cinema Documentário e produtora da mostra Kilombinho - Audiovisual Negro com Crianças, Crias e Comunidades. É participante do programa Getting Real'24 da International Documentar Association e fundadora da Vaporosa Cultural, produtora audiovisual com foco em narrativas afro-diaspóricas latino-americana.

Três dias de exibições 

Os 16 filmes selecionados participarão da Mostra competitiva disputando as categorias: Melhor Filme de Ficção; Melhor Filme Experimental; Melhor Documentário e Melhor Videoclipe da 7ª Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso. O prêmio oficial da  7ª Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso é o Troféu Quariterito, que esse ano será esculpido pela artista Paty Wolff e será entregue aos vencedores das Mostras Competitivas e homenageada desta edição.

Ainda nos dias de exibições serão apresentadas mesas de debates. A primeira, no dia 05 de julho, será Territórios, Cultura e Resistência. Já a segunda, marcada para para o dia 6 de julho, abordará Políticas Públicas na Cultura.

 A 7ª Mostra de Cinema Negro de Mato Grosso é realizada pelo Instituto Quariterê, em parceria com o Instituto InRede e Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e apoio da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Confira programação completa:

04/07

19h: Abertura e boas-vindas com Jackeline Silva

19h20-21h30: Mostra competitiva 

Dia de Preto (Beto Oliveira) Ficção 15'

Pedagogia da navalha (Alma Flora, Colle Christine, Tiana dos Santos) Doc/Experimental  15'

Dente (Rita Luna) Ficção 20'

A tradicional Família Brasileira Katu (Rodrigo Sena) Documentário 25'

Vão das almas (Edileuza Penha e Santiago Dellape ) Ficção 15'

Nossos passos seguirão os seus (Uilton Oliveira) Documentário 13'

c0rp0 de bytes (Luques Oliveira)  Experimental  16'

Bye – Lucca Truta (Vitória Campos) videoclipe 5'

Suor e Melanina (Isabella Ferreira) videoclipe 3'

Festa de abertura no Rebu Bar com banda Sasminina

05/07

15h-17:30: Mesa 1: Políticas Públicas e Internacionalização

19h: Mestre de cerimônias
19h15-21h35: Mostra competitiva

Dona Rosa Caveira (Diana Freixo/ Dia Art) videoclipe 8'

Ava Kuña, Aty Kuña; mulher indígena, mulher política (Fabiane Medina, Julia Zulian e Guilherme Sai) Documentário 25'

Bonita (Mariana França) Documentário 25'

Jussara (Camila Ribeiro) Animação 9'

Castanho (Adanilo) Ficção 20'

Além da cancela  (Margarete Jesus) Ficção 24'

Como levar meu avô pro céu (Wanderson Lana e Thairo Meneghetti) Ficção MT 21'

06/07

15h-17:30: Mesa 2 - Territórios e Territorialidade

18h: Abertura

18:15 Sessão Aquilombamento Audiovisual Quariterê 

Mansos (20')

Aqui Jaz a Melodia (25')

Ó Paí Ó 2 (1h30')

21h00: Homenagem a Viviane Ferreira e Premiação

Festa de encerramento: Banda Calorosa e DJ Muluc no Estação 737 na praça da mandioca.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet