Olhar Conceito

Quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias / Artes visuais

Artista que transformou arte em religião expõe obras no Museu de Arte

Da Redação - Naiara Leonor

13 Nov 2015 - 09:09

Foto: Da Assessoria

Artista que transformou arte em religião expõe obras no Museu de Arte
A partir de sábado (14) as obras do artista plástico Jhon Douglas poderão ser visitadas na mostra “Religion”, no Museu De Arte de Mato Grosso. A abertura da exposição contará com apresentação da banda Fuzzly, a partir das 19h30.

Leia mais:
Mato-grossense classificada em concurso de música subiu da 17ª para a 4ª colocação, mas ainda precisa de votos
Lorena Ly divide tempo entre gravações do The Voice e turnê em casas de Cuiabá

Como um artista que vive a arte que faz, John faz de seu talento sua religião. “Essa arte virou minha religião, porque em todo tempo em que as telas foram surgindo, os novos trabalhos foram sendo idealizados, eu ia crescendo mais um pouco em consequência destas experiências. Das viagens, das influências culturais de cada lugar que passei”, explica.

Com os primeiros traços nascidos do nanquim – e distribuídos por tintas de spray – agora estas criaturas mascaradas evoluem pelas técnicas de aquarela e acrílica.

Nascido em Vilhena, Jhon amadureceu, evoluiu e transformou sua arte, assim como sua vida, por meio de suas viagens. Depois de percorrer o sul do país, o Paraguai, o México e Portugal, ele volta a Cuiabá. “Foi aqui que elas nasceram, onde elas cresceram, natural que eu encerre aqui este ciclo. Agora, parto rumo a Portugal para mais uma empreitada, para seguir minha própria religião”. Religião que baseia suas crenças em sua própria existência e tem seus próprios mandamentos.

Falando da “missa” de abertura, Jhon se empolga com a apresentação musical deste sábado também, afinal, uma das bandas mais respeitadas do circuito independente de Cuiabá, que é figura notável em toda a cena nacional e conquistou países vizinhos, como a Argentina e Chile, completam a noite.

O público se envolve pelo stoner rock, que o vocalista e guitarrista DarkJodão e o baterista Rafael Arruda dão o nome de “música livre”: “rock´nroll lento e chapante”. Para completar, o baixista Athus Vinicius. O resultado é psicodelia dos anos 70 e o peso dos anos 90. “O estilo e o clima obscuro tem tudo a ver com as máscaras”, se diverte o artista plástico Jhon Douglas.

A diretora do Museu de Arte de Mato Grosso, Viviene Lozi, destaca que cada vez mais os museus têm usado de criatividade e de novas propostas para seduzir o público. Neste caso, a música pode ser um grande atrativo para levar as pessoas a conhecer o acervo do museu.

Os presentes podem apreciar ainda, outras duas exposições, “Hemma-Thomas” – que aposta no surrealismo para denunciar a violência doméstica – e “Santos Pantaneiros”, de Mario Friedlander, que revela a beleza das imagens das festas de santos.

O Museu de Arte de Mato Grosso é administrado via contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, por meio da Associação Casa de Guimarães. Visitações podem ser feitas de terça-feira a domingo, das 9 às 17 horas.

Serviço

Abertura “Religion”, de Jhon Douglas
Com performance da banda Fuzzly
Abertura: 14/11 às 19h30
Período: 14 a 29/11/2015

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Redes Sociais

Sitevip Internet