Olhar Conceito

Domingo, 27 de setembro de 2020

Notícias / Cinema

Com roteiro sobre estupro coletivo, publicitário de Cuiabá é selecionado para curso em Madrid

Da Redação - Isabela Mercuri

13 Jul 2015 - 16:08

Foto: Arquivo Pessoal

Severino Neto

Severino Neto

O roteiro do longa “A luz do erro”, de Severino Neto, foi um dos vinte escolhidos (apenas três do Brasil) para o 13° Curso de Desarollo de Proyectos Cinematograficos Iberoamericanos, pelo Programa Ibera Media. Foram 1111 projetos selecionados, destes 957 da América Latina e 154 da Espanha.

Leia mais:
Drag Queens Sarah Mitch e Nathy Dumond lançam primeiro clipe em parceria com produção de André D'Lucca
Filmes socioambientais são tema da exibição do Cineclube Inca desta semana

Severino é de Minas Gerais mas mora em Cuiabá há 15 anos. Formado em Propaganda e Marketing pela Universidade de Cuiabá (UNIC), o roteirista começou a se interessar por cinema em 2006, quando fez uma pós-graduação: “Foram dois anos de curso, e depois disso comecei a escrever roteiros de curtas, antes era só de propagandas mesmo”, afirma. Três de seus curtas já foram produzidos, e em 2014 ele decidiu escrever seu primeiro longa metragem.

A história – superficialmente – é sobre os filhos de estupros coletivos: “Aqueles estupros feitos com lésbicas, com a ideia de que o contato as tornaria heterossexuais. O filme conta a história de um filho – resultado de um estupro - que foi abandonado e reencontra sua mãe anos depois, e ela está em uma relação homossexual”, conta Severino.

A ideia de participar do curso é tratar seu projeto e transformá-lo em um roteiro perfeito: “Todo mundo que trabalha com cinema sabe que chega uma hora que você precisa de ajuda para finalizar o roteiro. Então ano passado eu decidi inscrever meu projeto no Ibero e quando vi que passei foi sensacional, é um grande passo”, afirma. Severino vai para Madrid em outubro, onde ficará quarenta dias imerso somente em seu roteiro.

Ele conta que seu tema e sua cidade ajudaram na seleção para o curso: “Primeiro eu mandei o roteiro e o projeto, e a segunda fase foi uma entrevista via internet, de uma hora e meia”, explica, “nesta entrevista a moça me disse que eles recebem muitas propostas do eixo Rio-São Paulo e do Sul, e que ficou surpresa de receber material de tão longe”.

O roteirista afirma ainda que, além de Cuiabá estar em uma região não muito competitiva para o audiovisual, seu roteiro pode ter surpreendido por ser algo fora do convencional: “É uma história meio surrealista, dividida em capítulos. A forma como ela é contada pode ter chamado atenção.

Para quando voltar do curso, ele promete: “Vou voltar de lá com um roteiro perfeito. Aí é só esperar um financiamento para o filme”.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet