Olhar Conceito

Terça-feira, 01 de dezembro de 2020

Notícias / Artes Cênicas

Comemoração dos 25 anos de carreira de André D'Lucca terá reapresentação de cinco peças e estreia de uma

Da Redação - Isabela Mercuri

07 Jul 2015 - 17:11

Foto: Reprodução/Da Assessoria

Comemoração dos 25 anos de carreira de André D'Lucca terá reapresentação de cinco peças e estreia de uma
Seis noites de apresentações marcam a comemoração de vinte e cinco anos de carreira de André D’Lucca, quinze deles como Almeirinda. De 21 a 26 de julho, no Teatro Cerrado Zulmira Canavarros na Assembleia Legislativa, as peças apresentadas serão “Aluga-se Negro 1,75 80kg Malhado”, “Gladstone In Concert”, “Os Segredos de Almerinda”, “O Grande Truque”, “Cuiabá Digoreste” e “Bendito”.

Leia mais:

Escola Circo Leite de Pedras faz projeto de circulação por bairros da capital
Depois de protagonizar musicais, cuiabana terá participação em nova novela da Globo

Sempre às 20h30, as apresentações começam com dois personagens fortes, que é o garoto de programa Lucas Hanter, em “Aluga-se”, na terça-feira (21), e Bendito, na sequência (22).

“Aluga-se” traz teatro e cinema em um monólogo que mostra a paixão pela “vida fácil” do submundo de Cuiabá. O jovem investe tudo na carreira de michê, mas logo percebe que aquele lugar e as situações não são tão fáceis assim. A comédia dramática mostra as fases da prostituição masculina e as características de alguns clientes.

Em Bendito, que estreou em 2011, D’Lucca expõe a trajetória de um peregrino pela vida, que apesar de todo o sofrimento, passa por várias adversidades e contratempos, mas não desiste e quer saber o que tem nesse mundo para ele. O espetáculo é acompanhado pelos músicos Henrique Maluf e Joelson da Conceição, o Macaco.

Na quinta-feira (23) é a vez do clássico “Os Segredos de Almerinda”. André D’Lucca afirma que a peça já teve um milhão de espectadores, pois quatro anos após a estreia 200 mil pessoas já haviam assistido a produção. A direção é de José Augusto Barbosa e supervisão de Ingrid Guimarães e Heloísa Perissé.

Como a rica emergente socialite Almerinda Lowsbi já tem 15 anos de espetáculo, o show vem com piadas novas, mas sem perder a característica da mulher que tem por objetivo de vida achar um político para chamar de seu e, claro, fazer suas críticas cômicas da política mato-grossense.

Na sexta-feira (24) Almerinda continua seu show em “O Grande Truque”, de mágica, onde mistura comédia, política e ilusionismo, acompanhado da banda.

O quinto dia traz “Cuiabá Digoreste” no dia 25 de julho. Neste musical, André D’Lucca interpreta a família cuiabana fazendo os quatro personagens de Liu Arruda. O ator interage com o público com a matriarca comadre Nhara, o marido sossegado Juca, e os filhos Ramona, loira e atrevida, também o roqueiro Gladstone, que vive o dia inteiro no banheiro fumando ou com os amigos da banda atacando a geladeira.

No domingo (26), último dia da temporada, acontece a estreia de “Gladstone In Concert”, um show de rock cuiabano com convidados que vão cantar junto com Gladstone: Roberto Lucialdo, Lucius do Caju, Larissa Padilha e a dupla Billy Brown e o Magro de Bigodes.

A carreira

Aos cinco anos de idade, André D’Lucca já imitava a mãe com peruca: “Aí eu comecei a apanhar muito em casa do meu pai porque eu ‘arremedava’, assim como falavam, e não podia arremedar. E no início da adolescência tive que ir ao hospital para ver se a opção de médico, um sonho da minha mãe, era aquilo que eu queria. Mas não aguentei o cheiro do ambiente hospitalar e decidi que não quis”, lembra o ator.

Nesta época ele vendia banana nas ruas para assistir “Os Trapalhões” no antigo “Cine Bandeirantes”. Chegou até a fazer cinema com caixa de papelão, com quadros desenhados, que eram girados e narrados com a voz de André como pano de fundo.

Nos anos 90, participou por três anos do grupo Ânima, após assistir uma peça do grupo e decidir que seria ator. No começo, no entanto, ele tinha a experiência teórica mas esbarrava na hora de entrar no palco.

Foi no município de Tabaporã que sua veia artística aflorou com tranqüilidade. André chegou a montar um grupo de teatro em que era ator, diretor e roteirista. Conquistou então, a partir de 1993, os palcos e ganhou segurança para voltar a Cuiabá.

Em 1995 entrou para o grupo teatral “Cena Onze”, onde ficou por cinco anos com o diretor Flávio Ferreira. Já em 2000 criou a Almerinda, em Cuiabá, cujo potencial alcançou o Rio de Janeiro. Três anos depois a peça tinha a direção das globais Ingrid e Heloísa.

No Rio, André chegou a participar da novela “7 Sete Pecados”, onde fez o sequestrador Carlão e ficou um mês no ar. Depois de cinco programas Linha Direta, na emissora Globo, participação em “A Grande Família”, na série “Guerra e Paz” ele chegou a fazer três episódios de “Sob Nova Direção”, onde em um deles foi o convidado principal.

Seu portfólio continuou com trabalhos internacionais. Gravou um comercial da Coca-Cola na Argentina e mais de 40 comerciais, dezenas de curtas-metragem. Fez o protagonista em “Sua vida é você quem faz”, de João Carlos Bertoli, encenou a minissérie “Rondon, o grande chefe”, de Rodrigo Piovezan e está no curta “S2”, de Bruno Bini.

Serviço

Os ingressos serão vendidos a R$ 40 e R$ 20 meia. Também 200 combos promocionais de R$ 100 que garante entrada em todos os todos os dias. Mais informações 3623-0000.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet