Olhar Conceito

Terça-feira, 28 de junho de 2022

Notícias | Comportamento

Comemoração é pra quem pode!

Sem folga no Natal, conheça os profissionais que continuam trabalhando na data

Foto: Naiara Leonor/ Olhar Conceito

A enfermeira Fernanda Caroline pintando as unhas de uma idosa do Abrigo Bom Jesus

A enfermeira Fernanda Caroline pintando as unhas de uma idosa do Abrigo Bom Jesus

Natal e Ano Novo são datas quase universais, quem não comemora pelo menos quer o dia de folga, mas a liberação do trabalho não é para todo mundo, algumas empresas mantém funcionários em regime de plantão. Médicos, bombeiros e policias são as profissões mais comuns que fazem esse rodízio de pessoal. Porém existem outros profissionais que trabalham na data para que outros aproveitem as festas, como seguranças, garçons e enfermeiros. Em Cuiabá muita gente vai estar de folga, mais ainda tem aqueles que não tiveram a rotina alterada neste 25 de dezembro.

Leia mais:
Com nova casa, mãe de seis filhos ainda precisa de doações para o Natal
Com "Amor em Ação", voluntários distribuem alimentos e carinho a moradores de rua de Cuiabá

A enfermeira Fernanda Caroline, de 23 anos é um exemplo de profissional em Cuiabá que passou o dia 25 como outro qualquer: trabalhando. Funcionária do Abrigo Bom Jesus há oito meses, ela conta que este é o primeiro ano em que passa o Natal trabalhando e que apesar de não ter folga ama o que faz. “Eu faço meu trabalho com amor e cuido deles como iguais. Vou entrar as 6h e sair às 18h. Talvez minha mãe e minha filha venham durante o dia”, explicou, em entrevista antes de seu plantão.


Seu Valdecir, garçom do restaurante Choppão

No Choppão os garçons também trabalharam durante o Natal, já que o restaurante não fechou, política adotada pelo estabelecimento há muitos anos. Seu Valdecir é um dos que há muito tempo não sabe o que é passar o dia do Natal no sossego do lar com a família. Ele conta que há 10 anos trabalha durante o dia do Natal no restaurante. “É um dia de bastante movimento, tem cliente que vem todo ano almoçar com a família, virou tradição”.

Sobre o que pensam os familiares, ele diz que já acostumaram. “Eles entendem que faz parte da profissão e respeitam”, comenta Seu Valdecir. Enquanto alguns já estão acostumados, outros estreiam como trabalhadores na data, é o caso do garçom Antônio Marcos. “Tem gente aqui que já trabalha na data há bastante tempo e já acostumou. Esse ano é a minha primeira vez e a família não gostou da ideia, mas faz parte da profissão, com o tempo eles acostumam" conta Antônio, que vai trabalhar durante a noite no horário da Ceia de Natal.

Se o Natal da enfermeira Fernanda e dos garçons Valdecir e Antônio Marcos serão bem movimentados, por outro lado, o plantão do segurança da UFMT, José Cícero será solitário. Há três anos trabalhando na empresa MGB, ele diz que já acostumou e que trabalhar nestas datas tem suas vantagens. “Às vezes a esposa traz uma marmita com a janta e bom é que depois de trabalhar 12h folgamos 36h”, explica José.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet