Olhar Conceito

Quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Notícias / Artes visuais

Exposição de Mario Friedlander comemora os 263 anos de emancipação política de Vila Bela

Da Redação - Stéfanie Medeiros

17 Mar 2015 - 13:39

Foto: Mario Friedlander

Vila Bela por Mario Friedlander

Vila Bela por Mario Friedlander

Vila Bela da Santíssima Trindade (540 Km de Cuiabá) é um município não só cheio de belezas, mas cheio de história. A primeira capital de Mato Grosso, em comemoração ao seu aniversário de 263 anos de emancipação política, terá suas múltiplas facetas expostas na fotografia de Mario Friedlander.

Leia mais:
Mario Friedlander alia fotografia à defesa dos movimentos ecológicos e dos povos tradicionais; veja fotos

De acordo com a assessoria, são 40 fotos que farão parte da mostra “A Casa Azul”, no Centro Histórico de Vila Bela, na semana do aniversário da cidade, dia 19 de março, dia de São José, até a festança no final do mês de julho. “Boa parte das fotos são antigas, mostrando aspectos da população, da geografia e arqueologia do lugar, coisa que muitos dos mais jovens não conhecem”, descreve Mario, que frequenta desde 1983 a região remanescente de quilombolas.

Friedlander foi envolvido pela magia do lugar e desde então captura fragmentos dos diversos mundos que ainda coexistem por ali.  Dedicou-se a conhecer e documentar a natureza e seus elementos, as populações e seus costumes, onde assim juntou muitas imagens dos modos de vida e sua riqueza material e imaterial.

Por meio desta exposição quer compartilhar alguns destes fragmentos de Mato Grosso, sua gente e suas crenças. O fotógrafo e documentarista adquiriu uma paixão pelo lugar, desde que ali chegou há mais de 30 anos, onde se tornou um profundo conhecedor da geografia, arqueologia, história e principalmente da cultura popular impar dessa terra, marcada pelas danças do Congo e do Chorado.

A dança do Chorado originalmente foi o instrumento encontrado pelas negras escravas para persuadir os senhores a amenizarem os castigos dados a seus familiares. Um dos principais elementos do Chorado é a garrafa de Kanjinjin equilibrada na cabeça pelas dançarinas.


(Vila Bela por Mario Friedlander)

O kanjinjin é uma bebida típica da região que, segundo as dançarinas do Chorado, foi incorporada à Dança recentemente, na década de 1980. Ainda no Centro de Vila Bela estão as ruínas da Igreja Matriz de Mato Grosso no período colonial. Ela é um símbolo da cidade e constitui o marco de uma história que começa em 1752.

Naquela época, a descoberta de riquezas minerais (ouro) na região do rio Guaporé fez com que Portugal se apressasse em povoa-la, temendo que os vizinhos espanhóis fizessem o mesmo. Foi então criada a capitania de Mato Grosso e sua capital instalada em 19 de março de 1752.

Com tantas histórias para contar e serem vistas Mario Friedlander resolveu por ali se instalar para captar em suas lentes as riquezas e exuberância do lugar, as quais muitas não são vistas e que serão apresentadas nesta exposição.

Entre os anos de 2005 a 2009 o fotógrafo comprou um casarão arruinado, em pleno Centro Histórico de Vila Bela, tombado pelo Governo do Estado de Mato Grosso, transformando-a, após uma restauração e ampliação, no Espaço Cultural “A Casa Azul”, e também sua moradia.


(Mario Friedlander)

O endereço da Casa Azul é a rua Pouso Alegre, 384, a menos de 30 metros da praça principal da cidade, e a cerca de 300 metros da praia morena, no rio Guaporé. A entrada e visita da exposição são gratuitas, e conta com o “Programa de Apoio á Cultura”, o Proac, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, com edital de 2014.

Na abertura da exposição que será no sábado 21 de março, o Grupo do Chorado irá se apresentar e haverá também um coquetel tradicional, o famoso e delicioso “Chá Afro”, feito pelas mulheres de Vila Bela.

Mario Friedlander é especializado em documentações de Natureza, Arte Rupestre, Arqueologia, Espeleologia e Povos Tradicionais.

Programação de aniversário de Vila Bela

No dia 18 terá um show Gospel com a banda Filhos do Homem, a partir da 20h.

No dia 19, às 8h, terá o hasteamento da Bandeira, às 9h, a missa na igreja Matriz. Após, segue às 11h com o almoço servido á população, no Centro Comunitário.

Continua às 18h, com o descerramento da Bandeira, ás 22h acontece a Dança do Chorado, às 22h30 entra em cena o Grupo Balé da Bolívia e ás 23h show nacional com a dupla Cesar Menotti e Fabiano.   

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet