Olhar Conceito

Sábado, 23 de janeiro de 2021

Notícias / Literatura

Autor que passou quase toda a vida em Cuiabá faria 70 anos nesta quinta; seu livro vai virar filme

Da Redação - Isabela Mercuri

03 Mar 2016 - 18:23

Foto: Reprodução / Da Assessoria

rômulo netto

rômulo netto

Um dos escritores que mais marcou a literatura cuiabana, mesmo sem ser mato-grossense, faria nesta quinta-feira (3) 70 anos de idade. Rômulo Netto era mineiro, e sua família fará uma cerimônia informal em sua homenagem, e suas cinzas serão jogadas em alguma curva do rio Paracatu.

Leia mais:

Livro de mato-grossense finalista do Prêmio Jabuti será lançado nesta quinta na UFMT
Professor de Poxoréu lança livro de biografias dos prefeitos da cidade de 1930 a 2014

Ele faleceu em 2015 na cidade de Curitiba, onde morava há seis meses. Em Cuiabá, onde morou por muitos anos, ele deixou um rico legado cultural. Autor de mais de vinte livros, dentre publicados e engavetados, ele era um defensor da qualidade das obras produzidas fora do eixo Rio-São Paulo, ou “Sul-Maravilha”, como ele chamava.

Em entrevista ao Jornal A Gazeta, em 2009, ele chegou a registrar seu aborrecimento: “Tenho parentes, amigos e conhecidos por todo o país e todos falam que se eu estivesse no sul ou sudeste do país minha obra seria mais reconhecida. Não sei se é só isso, mas também não me importo", disse na época.

Sua obra mais recente, “Sertão de Sangue” (2013), vai se transformar em filme. O cineasta Rodrigo Grota, inspirado pela história, a estuda já há dois anos. Ela é considerada, inclusive, um “verdadeiro faroeste sertanejo”.

Rômulo Netto foi servidor técnico-administrativo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), desde os primeiros anos da instituição. Trabalhou também na assessoria de Gabinete da Reitoria, foi presidente da Comissão Permanente de Concurso Vestibular (Copeve) e presidente do Conselho Editorial da Editora Universitária. Ele se dedicou ao trabalho como Gerente da Gráfica da UFMT (Imprensa Universitária) até sua aposentadoria.

Pela Carlini e Caniato Editorial, Netto publicou: “As Jagunças”, “Filisberto das Âncoras”, “Contos dos Gerais”, “Cidades, Ciudades”, “Bom-dia, Senhor Presidente”, “Tarenço, o Capanga de Lata”, “Os Deserdados da Sorte”, “Tatão Malemais, o Capador de Anjos”, “Transitoriedade, Palavra”, “O Infinito Desespero de Ementério”, “Não Fala Comigo! A História de um Autista”, “Serapião Fala Mole”, “É Proibido Ler” e “Sertão de Sangue”.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet