Imprimir

Notícias / Brasil

Presente de alem„es para garoto, mesa de totů "previu" goleada de sete

Globo Esporte

 Campeões mundiais na bola e na simpatia, os alemães fizeram de sua passagem pelo país um momento inesquecível para os brasileiros que conviveram com eles. Entre os presentes que deixaram para os habitantes de Santa Cruz de Cabrália, a cidade que os acolheu, além do chinelo de Mario Götze, autor do gol do título, os alemães presentearam os meninos baianos com uma inusitada mesa de totó (ou pebolim) que curiosamente tem escrito em sua lateral o número fatídico da goleada: Sete. Essa e outras histórias estão na reportagem que Régis Rösing fez retratando a excelente impressão que os alemães deixaram na população da pequena cidade litorânea da Bahia.

- A gente não pediu o totó não. Quando eles trouxeram eles falaram que era da gente. Eles pegaram e deram para a gente. É Alemanha e Brasil. Parei de torcer para o Brasil, agora é Alemanha. Eu fiquei alegre porque a Alemanha ganhou – explicou o jovem Maicon.

Totó, para os cariocas e para a maioria dos outros estados, pebolim para os paulistas, catarinenses e paranaenses e Fla-Flu para os gaúchos, a mesa que os alemães deram para Maicon Figueiredo, de 11 anos é bem diferente das similares brasileiras.

Pintados nas cores do Brasil e da Alemanha, os bonecos dos jogadores do totó tem os nomes dos jogadores escritos em suas costas. A mesa tem também um grande número sete escrito ao lado, que ao contrário do que se imagina, não faz alusão à goleada e sim ao número de formações táticas permitidas no jogo. Isto mesmo, na mesa que o jovem baianinho ganhou é possível reposicionar os jogadores de sete formas diferentes, montando e desmontando os bonecos da forma que o jogador achar mais divertido.