Olhar Jurídico

Domingo, 22 de setembro de 2019

Notícias / Criminal

TJMT condena rapaz acusado de estuprar e sequestrar menor

Da Redação - Julia Munhoz

10 Ago 2012 - 10:00

Foto: Reprodução

Foto Ilustrativa

Foto Ilustrativa

Um rapaz de 26 nos foi condenado pelo juiz Almir Barbosa Santos, da Comarca de Comodoro (644 km a oeste de Cuiabá) por ter seqüestrado e estuprado uma menina de apenas seis anos. Pedro dos Santos Grisosk foi sentenciado a 28 anos, 6 meses e 17 dias de reclusão. Ele já está preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá e deve cumprir a pena em regime inicialmente fechado.

Segundo informações da assessoria, o crime teve início em 13 de maio de 2011, quando o réu seqüestrou a vítima na cidade de Vilhena (RO). Dias depois a menina foi reconhecida por uma testemunha e localizada no dia 21 do mesmo mês. Pedro teria abordado a menor quando ela saia da escola.

Para advogado Mensalão deve ter 'grandes novidades' com manifestação de ministros
Paulo Taques e José Moreno articulam sucessão da OAB-MT e miram Luciana Serafim

Consta dos autos que ele estuprou a menina em uma matagal. Na sequência, o acusado manteve a menina escondida em uma casa abandonada também nos arredores da cidade, onde a estuprou mais três vezes. Nesse período, a menina contou em depoimento que passou fome e sede. Em data incerta, ele levou ela de Vilhena para Comodoro.

No dia 21 de maio, o rapaz teria levado a criança para brincar em uma praça, quando uma mulher a reconheceu de uma fotografia de crianças desaparecidas. Pedro dos Santos também foi condenado por falsidade ideológica, pois no momento da prisão teria apresentado nome falso.

Na decisão, o magistrado sustentou que embora o criminoso tenha negado o estupro dentre as provas produzidas estão o exame de conjunção carnal e o depoimento da vítima, que contou tanto à polícia quanto ao magistrado, em detalhes, os abusos sofridos que comprovam o crime.

“O crime perpetrado contra a vítima, menina de seis anos de idade, violou não só a legislação penal vigente como a Constituição Federal e os tratados internacionais de proteção aos direitos da criança, merecendo a adequada e justa retribuição estatal”, salientou o magistrado.

As informações são da assessoria do TJMT.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet