Olhar Jurídico

Terça-feira, 25 de junho de 2019

Notícias / Ambiental

Defensor reúne com secretário de Habitação em prol de 45 famílias

Da Redação - Flávia Borges

27 Abr 2015 - 10:15

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Defensor reúne com secretário de Habitação em prol de 45 famílias
O defensor público Roberto Tarde Vaz Curvo, coordenador do Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria, se reuniu com o secretário municipal de Habitação e Regularização Fundiária, Adilson dos Reis, para discutir a situação das 45 famílias despejadas do bairro Jardim Gramado III.

Leia mais
Defensor Público intervém em favor de 45 famílias do Bairro Jardim Gramado III

As famílias residiam em uma área de risco e moravam de favor, sendo assim resolveram ocupar uma área abandonada há 19 anos que estava servindo de refúgio para meliantes e usuários de droga da região. Há dois meses, cerca de 300 policiais militares realizaram a desocupação e a destruição dos barracos de madeira e algumas casas de alvenaria na presença de crianças e idosos sem assistência das autoridades responsáveis, conforme disse a moradora Alessandra Maria Ezidoro dos Santos.

O defensor interviu, cobrando medidas efetivas por parte da Prefeitura. “Só queremos que seja exercido o direito à moradia dessas famílias, aquilo que determina a Constituição Federal, respeitando e cumprindo os direitos humanos. Após a intervenção junto ao Secretário José Rodrigues, as famílias passaram a receber auxílio da Secretaria Municipal de Assistência Social, como o fornecimento de cestas básicas e até o encaminhamento para um abrigo, além da promessa de que a partir da próxima semana todas as famílias serão encaminhadas para um albergue”, disse Vaz Curvo.

Os representantes dos moradores, Alessandra Maria Ezidoro dos Santos, Esmeraldo Rufino da Cruz e Juliane Nazário dos Santos relataram a situação calamitosa que estão vivendo. “Há muitas crianças com dengue, idosos doentes e os adultos estão desempregados. Temos que dar uma condição de vida melhor para nossas famílias, não podemos continuar abandonados, sem segurança e sem esperança. Já procuramos todos os meios legais, começamos a ficar desesperados e a nos sentir desassistidos pelo Poder Público”, lamentaram.

Conforme informou o secretário de Habitação, Adilson dos Reis, alguns critérios devem ser seguidos, como priorizar os idosos, as crianças e os portadores de deficiências. “Existe uma legislação específica para atender essas famílias, priorizando os casos emergenciais”.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet