Olhar Jurídico

Terça-feira, 02 de março de 2021

Notícias / Administrativo

Desembargadores pedem vista e PAD contra juiz acusado de venda de sentença é adiado

Da Redação - Flávia Borges

21 Mai 2015 - 17:12

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Desembargadores pedem vista e PAD contra juiz acusado de venda de sentença é adiado
Alvo de um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD), o juiz Wendell Karielli Guedes Simplício, hoje responsável pela 4ª Vara de Alta Floresta, recebeu seis votos favoráveis a sua absolvição em uma investigação por suposta venda de sentenças entre os anos de 2004 e 2007 nas Comarcas de Vera e Feliz Natal.

Leia mais
TJ condena juiz à aposentadoria compulsória por favorecer advogados e venda de sentença

O PAD foi adiado devido ao pedido de vista dos desembargadores Luiz Carlos da Costa, Marcos Machado e Luiz Ferreira.

Conforme denúncias, Wendell, na época lotado na comarca de Vera e respondendo também por Feliz Natal, teria um esquema de venda de sentenças nos dois municípios. Ele usaria o oficial de justiça Jober Misturini, pessoa de sua confiança, para intermediar os negócios com os advogados ou com as partes. Quando o negócio era fechado diretamente com a parte, o advogado que deveria entrar com a ação seria Jarbas Lindomar da Rosa, um ex-agente da Polícia Federal.

Relator do PAD, o desembargador Rui Ramos Ribeiro narrou todas as ações em que houve a suspeita de negociação de decisões judiciais. Segundo ele, “não foram encontrados depósitos não declarados nas contas do juiz durante este período de investigação em que se atribui a venda de sentença, de 2005 a 2007”.

O voto de Rui Ramos foi acompanhado pelos desembargadores Guiomar Teodoro Borges, Carlos Alberto, Rondon Bassil, Rubens de Oliveira e Sebastião de Moraes. Os demais aguardaram os pedidos de vistas.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet