Olhar Jurídico

Terça-feira, 02 de junho de 2020

Notícias / Eleitoral

Ministério Público indicia candidatos por manipular site de notícias

Especial para o Olhar Jurídico - Mylena Petrucelli

25 Set 2012 - 15:09

Foto: Divulgação

Justiça condena candidatos por usar site de notícias para promover campanha

Justiça condena candidatos por usar site de notícias para promover campanha

O candidato a prefeito pelo município de Cáceres Francis Maris Cruz e sua vice, Antonia Eliene Liberato, receberam parecer favorável do Ministério Público Eleitoral (MPE) diante da denúnica de ambos por abuso de poder econômico e uso indevido de meios de comunicação.

Segundo a assessoria de imprensa do MPE, o parecer do Ministério decidiu que os dois estarão inelegíveis por oito anos, deverão pagar multa e ainda poderão ter seus registros cassados.

Em entrevista dada à assessoria, o promotor Eleitoral Samuel Frungilo afirmou que ao analisar detidamente a lista de matérias publicadas pelo site de notícias “Jornal Oeste” representado, foi verificado que, entre os dias 30 de junho a 17 de setembro deste ano, foram divulgadas 91 matérias favoráveis ao candidato Francis, enquanto foram levadas à apreciação dos internautas apenas 31 matérias favoráveis ao candidato adversário.

Além disso, o representante do MPE também alegou que Francis foi beneficiado com a veiculação de imagens de seu panfleto eleitoral e que o referido site sabotou pesquisas que apontavam seu favoritismo diante das disputas para as eleições municipais em 2012.

A assessoria divulgou que o MPE conseguiu apurar a informação de que empresas de propriedade do candidato Francis Maris são as maiores anunciantes do Jornal Oeste. No parecer, o MPE ressaltou que a imprensa é livre para publicar textos críticos e opinativos sobre os candidatos, mas essa liberdade pode e deve ser usada sempre com finalidade jornalística, não podendo ser utilizada como instrumento de campanha.

Com informações da assessoria de imprensa do MPE/MT

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet