Olhar Jurídico

Sábado, 13 de agosto de 2022

Notícias | Criminal

CASO CAMILA

MPE cita perda de audição de médica e denuncia empresário por lesão corporal grave e ameaça

Relacionamento começou em 2009 e casamento ocorreu em 2014

Relacionamento começou em 2009 e casamento ocorreu em 2014

O empresário Marcos Cesar Martins Campos, 34 anos, foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por crime de lesão corporal grave contra a médica Camila Tagliari Campos, de 29 anos. Por ter feito ameaças  à enteada, uma criança de 11 anos, Marcos também foi acusado formalmente por este crime.

Leia Mais:
Justiça reduz distância obrigatória entre empresário e médica espancada; defesa reclama de insegurança
 
A denúncia foi encaminhada à Justiça no último dia 5 de maio, assinada pela promotora Elisamara Vodonós, do Núcleo das Promotorias de Justiça Especializadas no Enfrentamento da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Cuiabá. Marcos, que  está com pedido de prisão preventiva decretada desde o dia 27 de abril não obteve decisão favorável a revogação da ordem, e é considerado foragido da Justiça.

Na denúncia, a promotora pontua que a ofensa a integridade física da médica resultou na debilidade permanente da função auditiva de Camila, como na incapacidade das atividades laborais por mais de 30 dias. A mulher ainda sofreu fratura no nariz e ficou com inúmeras marcas do rosto por causa de socos desferidos pelo então marido. 

Além da médica, o MPE pediu ainda a oitiva de cinco pessoas, dentre elas do policial militar que atendeu a ocorrência.
Na denúncia, o MPE elenca trechos da situação vivenciada. “Enquanto estava caída no chão, o denunciado continuou a agredir a esposa, a qual perdeu a consciência mais de uma vez: somente recobrando os sentidos com os gritos desesperados de sua filha que a tudo assistiu, implorando que o padrasto parasse de bater em sua mãe”.

O Caso


O episódio de violência foi registrado em um elegante condomínio instalado em área nobre da capital, na madrugada de 27 de março, pouco depois de o casal deixar uma comemoração pelo aniversário de Marcos, conforme o Boletim de Ocorrências (2016.101552).

Durante a festa, na qual Marcos consumiu bebidas alcoólicas, a vítima teria sugerido ao agressor que ambos fossem embora do local, já que no dia seguinte teriam de comparecer a outro evento comemorativo, dessa vez com os pais de Marcos.

No entanto, quando o casal chegou à garagem do prédio onde reside, a mulher foi, de repente, puxada pelo cabelo. Na sequência, iniciou-se uma sessão de agressões físicas: com socos e tapas. As agressões, presenciadas pela filha da médica, e enteada de Marcos terminaram depois que a mulher se esconder no banheiro da portaria e acionou uma equipe da Polícia Militar. Os policiais realizaram a prisão de Marcos quando ele dormia no apartamento do casal.

Ao comentar o caso, a médica Camila avaliou com uma grande covardia a agressão sofrida. Os dois foram casados por dois anos, mas o relacionamento começou em 2009.  "Foi um ato de covardia. Não há justificativa", afirmou. 

Segundo o advogado de Camila, Dauto Passare, todas as medidas cíveis cabíveis ao caso já foram adotadas contra o empresário. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet