Olhar Jurídico

Segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Notícias / Criminal

Juíza mantém prisão de Silval Barbosa e mais quatro pessoas em ação da Sodoma por desvios de R$ 8 mi

Da Redação - Arthur Santos da Silva

15 Mai 2017 - 11:18

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juíza mantém prisão de Silval Barbosa e mais quatro pessoas em ação da Sodoma por desvios de R$ 8 mi
A magistrada Ana Cristina Silva Mendes, Juíza Auxiliar da Corredoria Geral de Justiça, manteve prisão preventiva em face de Silval da Cunha Barbosa, Silvio Cezar Corrêa Araújo e mais três pessoas em ação criminal proveniente da Operação Sodoma. A decisão é do dia 12 de maio.

Leia mais:
Empresário de MT envolvido em esquema de R$ 8 milhões é preso em SC; Wanderley da Trimec será conduzido


Ana Cristina Também manteve prisão contra José de Jesus Nunes Cordeiro, Valdisio Juliano Viriato e Francisco Gomes de Andrade Lima Filho.
 
A participação da magistrada em decisões da Sétima Vara faz parte de um programa de aprimoramento processual da Justiça Criminal, cumprido pela Corregedoria Geral de Justiça.
    
Na referida fase da Sodoma, o Ministério Público destaca que foi apurado que a organização criminosa solicitou e recebeu vantagem indevida  de R$ 3,05 milhões entre outubro de 2011 a dezembro de 2014, da empresa Marmeleiro Auto Posto Ltda.
 
Em contrapartida, foram fraudados três pregões presenciais que viabilizaram a permanência da referida empresa na condição de fornecedora de combustível para o abastecimento de toda a frota do Poder Executivo Estadual.

Foram constatados, ainda, desvios de dinheiro público junto a Secretaria de Estado de Transporte e Pavimentação Urbana no valor aproximado de R$ 5,1 milhões, no período de fevereiro de 2013 a outubro de 2014, mediante a prática fraudulenta de inserções fictícias de consumo de combustível por meio do sistema eletrônico de gestão de abastecimento que era gerido pela empresa Saga Comércio e Serviço Tecnologia e Informática Ltda. 

Foram denunciados Francisco Anis Faiad, Valdísio Juliano Viriato, Silval da Cunha Barbosa, Pedro Jamil Nadaf, Marcel Souza de Cursi, Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, Sílvio Cezar Corrêa Araújo, José de Jesus Nunes Cordeiro, César Roberto Zílio, Pedro Elias Domingos de Mello, Rodrigo da Cunha Barbosa, Arnaldo Alves de Souza Neto, Karla Cecília de Oliveira Cintra, Juliano Cezar Volpato, Edézio Corrêa, Alaor Alvelos Zeferino de Paula e Diego Pereira Marconi.

A denúncia foi rejeitada em relação aos acusados: Marcelo Souza de Cursi, Pedro Jamil Nadaf, Karla Cecília de Oliveira Cintra, Rodrigo da Cunha Barbosa, Arnaldo Alves de Souza Neto e Francisco Gomes de Andrade Lima Filho

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Charles Dias
    18 Mai 2017 às 07:21

    Na Gestão desse Cidadão a minha empresa ficou 18 Meses sem receber referente ao Sistema de Identificação de Madeira desenvolvido pela minha empresa e técnicos do do INDEA, nos forçando a parar todo o projeto, sistema esse, utilizado à época para controlar o transito e madeira no estado através do INDEA. Agora esse cidadão esta ai, querendo entregar a fazenda em Colniza, cidade esta onde predomina o desmatamento e comércio ilegal de madeira. Porque será que na época ele não nos pagou? A justiça divina tarda mais não falha. Hoje esta ai preso, onde deveria apodrecer.

Sitevip Internet