Olhar Jurídico

Terça-feira, 16 de julho de 2019

Notícias / Geral

'Princípio do Contraditório' é obra de Welder Queiroz, doutrinador de MT para a mesa dos operadores do direito

Da Redação - Ronaldo Pacheco

23 Mar 2018 - 15:15

Foto: Rogério Florentino Pereira / Olhar Direto

Welder Queirzo (ao centro) é autor da obra “Princípio do Contraditório e Vedação de Decisão Surpresa”

Welder Queirzo (ao centro) é autor da obra “Princípio do Contraditório e Vedação de Decisão Surpresa”

Considerada obra contemporânea capaz de orientar consultas e decisões, “Princípio do Contraditório e Vedação de Decisão Surpresa”, de autoria de Welder Queiroz dos Santos, advogado e professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), tende se tornar referência em doutrina. A projeção partiu do presidene da OAB em Mato Grosso, Leonardo da Silva Campos; Instituto dos Advogados Mato-Grossenses, Fábio Capilé, e outros operadores do direito.
 
“Desejo cumprimentar o professor Welder Queiroz, pois é uma bela obra que servirá à comunidade jurídica mato-grossense brasileira, em geral. É obra para consulta nacional. É um doutrinador, prata da casa e que hoje rompe as fronteiras de Mato Grosso, como referência nacional no direito”, observou Leonardo Campos, ao pedir que outros filiados da OAB de Mato Grosso se inspirem para obras doutrinárias.

Leia mais:
- Com prefácio de Taques e Gilmar Mendes, Marrafon lança livro de artigos no STF, em Brasília 
 

- Servidor do TRE lança livro intitulado “Curso de Direito Eleitoral”

A sua obra anterior "Juizados Especiais", da Coleção Repercussões do Novo Código Processual Civil (CPC), está entre as mais consultadas no país e quase se tornou um best seller.

Silva Campos afiançou que o contraditório é a base da democracia contemporânea. “O princípio do contraditório é essencial para a democracia e para o estado democrático de direito. Precisa a cada dia ser afirmado e reafirmado! Porque o contraditório, dentro do estado democrático de direito, é o mais importante dos seus princípios. Não há devido processo legal, se não for calcado no direito ao contraditório e à ampla defesa”, ensinou Leonardo Campos.
  
Para o presidente da OAB de Mato Grosso, os operadores do Direito ganham importante e confiável fonte de consulta. “Serve de estímulo e incentivo para que os demais membros da comunidade jurídica do direito possam criar o hábito de escrever. Certamente há necessidade de novos doutrinadores. E há de se destacar que o livro [impresso] nunca sairá de moda, pois está na cabeceira, na leitura dentro do avião, dentro da pasta. Aliás, o hábito de leitura no papel serve para memorizar e gravar melhor”, enfatizou Leo Campos.
 
Amigo de longa data de Welder Queiroz, o advogado Renato Bonilha não quis analisar a obra. “Welder é amigo e vizinho”, desconversou Bonilha.


 
Para Fábio Capilé, do Instituto dos Advogados, Mato Grosso passa a ter doutrinadores respeitados entre operadores do Direto. “É muito importante Mato Grosso se posicionar e vem sendo uma vitrine, no campo do direito.Welder Queiroz é referência profissional para todos nós, assim como o Valerio Mazzuoli, também referencia nacional”, afirmou Capilé, sobre o que pensa de “Princípio do Contraditório e Vedação de Decisão Surpresa”.
 
Para o Instituto dos Advogados, a tendência é Mato Grosso avançar ainda mais, nos próximos anos. “É com muito orgulho que a gente presencia essas pessoas que, embora, tenham idade tenra, demonstram conhecimento profundo no campo do direito. Isso nos orgulha muito! Welder Queiroz é parceiro do Instituto e tem proferido palestras, não somente para os acadêmicos, mas também para profissionais experientes”, pontuou Fábio Capilé.
 
Welder Queiroz dos Santos é doutor, mestre e especialista em Direito Processual Civil pela PUC/SP. Pós-graduado em Direito Empresarial pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e é professor efetivo da Faculdade de Direito da UFMT, aprovado em 1º lugar no concurso público para ingresso na carreira. (Colaborou Rogério Florentino Pereira)

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet