Olhar Jurídico

Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Notícias / Civil

Defensores acusam Taques de 'mentir' ao STF sobre repasses: 'deslealdade e litigância de má-fé'

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

10 Abr 2018 - 09:30

Foto: Rogério Florentino/OlharDireto

Defensores acusam Taques de 'mentir' ao STF sobre repasses: 'deslealdade e litigância de má-fé'
"Ausência de compromisso com a verdade dos fatos, por parte do Governador, incorrendo em deslealdade processual e litigância de má-fé", assim definiu a Associação Nacional dos Defensores Públicos (Anadep) em petição (de condenação) enviada à ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber. O documento foi assinado no último dia 06. 

A ação visa garantir que o Estado de Mato Grosso repasse valores dos duodécimos à Defensoria Pública de Mato Grosso.

Leia mais:
Ao STF, Estado alega ter pago R$ 100 milhões em duodécimos e pede arquivamento de ação


Segundo a associação, a omissão do Executivo estadual fere a autonomia da Defensoria Pública e teria instaurado um quadro parcial de inviabilidade institucional, pois o atraso nos repasses estaria impossibilitando a adequada operacionalização das estruturas e da gestão de recursos humanos necessários para o cumprimento das atividades essenciais da instituição.

"Não bastasse o ato lesivo já praticado, o Excelentíssimo Governador vem aos autos, utilizando-se de sofismas com intuito nitidamente protelatório, buscando evitar a apreciação do pedido cautelar, realizado na petição inicial desta ADPF", inicia a manifestação.

Acrescenta a ADPF que ação não se refere ao repasse de duodécimo, mas seu repasse integral até o dia 20 de cada mês: "não à prestações e nas datas impostas pelo Governador, de forma absolutamente arbitrária, déspota e inconstitucional".

Rebate: "comprovou-se nos autos que não houve déficit de arrecadação no Estado do Mato Grosso nos períodos que interessam a esta ação". 

Atos Protelatórios:

Conforme a manifestação, a Nota Técnica 060/2018 traz informação "desprovida de veracidade", uma vez que não houve repasse do duodécimo residual referente a dezembro de 2017, afirma. O órgão apresenta documentos que contrapõem a Nota.

"O Governador deveria, ao menos, ter juntado aos autos o comprovante de transferência dos valores que alega, por meio da Nota Técnica supramencionada, ter repassado. Portanto, não se desincumbiu do ônus probatório de comprovar objetivamente que cumpriu a determinação constitucional. Houve ausência de compromisso com a verdade dos fatos, por parte do Governador, incorrendo em deslealdade processual e litigância de má-fé".

Deslealdade Processual:

Sobre a suposta deslealdade, o Anadep avalia: "Ao afirmar que realizou o pagamento de R$ 5.000.000,00 à Defensoria Pública Estadual em janeiro de 2018, referente ao duodécimo residual de 2017, o Governador Pedro Taques desrespeitou a obrigação de pautar-se pela verdade, além de estar, reiteradamente, tentando defender-se sem qualquer fundamento legítimo que o lastreie".

Pede ao STF: o governador "deverá responder pela litigância de má-fé, uma vez que alterou a verdade dos fatos, além de opor resistência injustificada ao andamento do processo".

Conclui:

"Requer-se, ainda, seja o Excelentíssimo Governador do Estado de Mato Grosso condenado aos consectários oriundos da litigância de má-fé, a ele sendo aplicadas as sanções legalmente estipuladas, por opor resistência injustificada ao andamento do presente processo, além de alterar a verdade dos fatos, ao afirmar que quitou todo o débito referente ao ano de 2017, com a Defensoria Pública do Estado do Mato Grosso, oriundo da ausência de repasse do duodécimo residual do mês de dezembro daquele ano".

O que alega o Estado:

No STF, Pedro Taques (PSDB) pediu arquivamento da ação movida pela Anadep, alegando que já repassou mais de R$ 100 milhões aos defensores. 

Em defesa do Executivo, a Procuradoria-Geral do Estado alega que a Anadep não possui legitimidade para promover ações desta natureza, uma vez que não cabe a ela zelar pelas prerrogativas à nível local. 

No aspecto financeiro, a administração Taques pontua já viabilizou o pagamento de 88% do previsto na Lei Orçamentária de 2017 para aquele órgão, ou seja, R$ 104 milhões, e que se há deficit, ele se dá em razão da "frustração da receita".
 
O governador requer o arquivamento da ação, asseverando a impossibilidade do bloqueio de valores das contas do Estado, ato inconstitucional e que prejudicaria o erário.

O outro lado:

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) fará uma manifestação a respeito da petição ingressada pela Associação Nacional dos Defensores Públicos no Supremo Tribunal Federal (STF). Assim, como na manifestação anterior, na mesma instância, o governo reitera que houve o repasse de R$ 5 milhões referentes ao exercício de 2017, e os repasses de 2018 acompanham a frustração de receita entre janeiro e abril de 2018, visto que este é o entendimento do Supremo Tribunal Federal.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Nelson Junior
    10 Abr 2018 às 22:15

    O atual Governo do MT, foi legitimado por um belo, sedutor discurso, porém passados mais de 3 (três) anos, mostrou-se um governo inconsequente e que adotou políticas sociais erradas, quando promoveu o "apartheid" da Defensoria Pública, o cidadão sofre, a máquina estatal de "moer gente" pulsa firme.

  • Maria
    10 Abr 2018 às 15:44

    Pra saúde e defensor pra pessoas carentes não tem dinheiro, mas pra mandar dinheiro pros EUA tem

  • Pedro
    10 Abr 2018 às 11:20

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • marcos de ARRUDA fonsceca
    10 Abr 2018 às 11:12

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • joaoderondonopolis
    10 Abr 2018 às 10:39

    Na minha vida, nunca vi uma pessoa ir se acabando dia a dia como é o governador Taques. Até acredito que ele não será candidato a reeleição. Está deixando a desejar e a população não quer nem saber de votar nele.

  • Juca
    10 Abr 2018 às 10:20

    Nunca vi a justiça nem defensores pedindo para diminuir as despesas dessas instituições. Só aumento, cada vez mais, mais e mais!

Sitevip Internet