Olhar Jurídico

Domingo, 21 de julho de 2019

Notícias / Geral

Ex-assessora afirma que juíza Selma dava prioridade a 'processos midiáticos'; ouça

Da Redação - Wesley Santiago

23 Mai 2018 - 11:33

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Ex-assessora afirma que juíza Selma dava prioridade a 'processos midiáticos';   ouça
A juíza aposentada Selma Arruda priorizava os processos midiáticos na 7ª Vara Criminal de Cuiabá. A afirmação é da ex-assessora Daiane Balerini Bocardi, que atuava junto a magistrada, durante depoimento realizado na última quinta-feira (17), na oitiva comandada pelo desembargador Marcos Machado em ação de suspeição movida pelo ex-deputado e ex-conselheiro do TCE, Humberto Bosaipo, contra a agora pré-candidata ao Senado, onde a acusa de ser parcial em suas decisões.

Leia mais:
TJMT suspende escolta de ex-juiza Selma por 'inexistência de risco' e 'uso político'
 
A ex-assessora confirmou no depoimento que os processos de maior repercussão na mídia tinham prioridade. Na gravação, divulgada pela Gazeta Digital, Daiana diz que os processos contra Bosaipo, o ex-deputado José Riva e outros agentes públicos eram lançados como "prioridades".
 
“Geralmente a gente estava sentenciando réu preso, o que a gente conseguia e esses de maior relevância social”, disse a ex-assessora. O desembargador questionou quais seriam os critérios para definir a prioridade. Daiane então respondeu: “Eles estavam lá no Apolo, eles estavam como prioridade. Estavam lançados no sistema como prioridade”.
 
Entre os processos midiáticos estavam o do ex-conselheiro Humberto Bosaipo e do ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), José Riva. O desembargar então afirma desconhecer esse modelo de classificação no sistema Apolo do Tribunal de Justiça.
 
Se a suspeição da juíza aposentada em processos da Operação Arca de Noé for confirmada, todos os atos dela nos processos contra Bosaipo serão anulados, incluindo a decisão que condenou o ex-conselheiro a 18 anos e 4 meses de prisão por desvio e lavagem de dinheiro na Assembleia Legislativa.

A assessoria da pré-candidata e juíza aposentada afirmou que deve se posicionar na próxima quinta-feira (24), através de entrevista coletiva.

Ouça e leia abaixo o depoimento da ex-assessora:



Desembargador: Certo. E escolha entre vários processos era do relevo social?

Informante (Daiane): Isso.

Desembargador: Que assim, no entendimento dela?

Informante (Daiane): Isso. Geralmente a gente estava sentenciando réu preso, o que a gente conseguia e esses de maior relevância social.

Desembargador: O que é relevância social no conceito da Doutora Selma - transmitida a você, claro né. É dela o conceito. -, para essa escolha de sentenciar um processo de réu solto?

Informante (Daiane): Olha, eles estavam lá no Apolo, eles estavam como prioridade.

Desembargador: No Apolo?

Informante (Daiane): Eles estavam lançados no sistema como prioridade.

Desembargador: Mas quem lança essa prioridade?

Informante (Daiane): Eu não sei te falar Desembargador.

Desembargador: Mas estavam lançados os processos?

Informante (Daiane)Eles estavam lançados. Tanto que tem vários processos, do Humberto Bosaipo, do Riva, como relevância social, que tinha maior repercussão no Estado.

Desembargador: Espera ai. Relevância social escrito no Apolo?

Informante (Daiane): Eu acho que eles tem uma classificação lá. Salvo engano.

Desembargador: Eu desconheço. Isso é interessante.

Informante (Daiane): Mas eles tinham maior repercussão na mídia né? 

20 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Reis
    30 Jun 2018 às 23:37

    Ela tava é certa sensacionalismo barato se não fosse ela essa raça não tinha sido presa

  • Silvado baboza
    13 Jun 2018 às 23:38

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ex-Assessor
    25 Mai 2018 às 21:41

    Parece que o Desembargador desconhece o Programa Justiça Plena do Conselho Nacional de Justiça. "O Programa Justiça Plena monitora e dá transparência ao andamento de processos de grande repercussão social. Lançada pela Corregedoria Nacional de Justiça em novembro de 2010, a iniciativa apoia a gestão dessas causas, relacionadas a questões criminais, ações civis públicas, ações populares, processos em defesa do direito do consumidor e ambientais." http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/justica-plena

  • Rocha
    25 Mai 2018 às 09:30

    Mais quem não conhece até acredita em perseguição a esse pobrezinho do Bosaipo, ou ao coitadinho do Riva, Dra mais um motivo pra ter o meu respeito, o APOLO é um sistema eletrônico e automático se lança como prioridade ele avalia e prossegue ou muda a categoria de prioridade.

  • JCARLOS
    24 Mai 2018 às 22:37

    Certíssima a Dra. Juiza, crimes de corrupção, desvio do dinheiro público, quadrilha formada para saquear o Estado, tem que ser prioridade. Cadeia logo !!!

  • Violeta
    24 Mai 2018 às 19:40

    Então porque ela dava prioridade pra agilizar esses processos agora viraram Santos? Vergonhosa manobra! Cadeia neles!

  • servidor
    24 Mai 2018 às 14:31

    AS MASCARAS CAINDO HEIM DOUTORA ...PRATICANDO UMA JUSTIÇA SELETIVA É A PIOR COISA QUE SE ESPERA DE UM MAGISTRADO...É O MESMO COMPARANDO A MEDICA QUE MATOU O VERDUREIRO E NE NEGOU A PRESTAR SOCORRO....MAS NO MEU CASO , COMO A SENHORA NUNCA TEVE E NUNCA TERA MEU VOTO , NÃO ME ABALA MUITO ESSA NOTICIA ...AINDA MAIS SABER QUE HOJE SE ALIA A UM LUNÁTICO , CHAMADO BOLSONARO .

  • Alexandre
    24 Mai 2018 às 13:53

    Esta notícia tem cara de notícia veiculada por "imprensa marrom". A título tem o nítido propósito de prejudicar a imagem da magistrada aposentada ao mencionar que ela dava preferência para julgar processos que renderiam notícias a seu respeito. Só que, pelo depoimento da ex-assessora ouvida pelo TJ, a ex-magistrada priorizou, dentre outros, os processo que possuem RELEVÂNCIA SOCIAL, dando a entender que são aqueles processos que envolvem empresários, pessoas ricas, figurões da política, servidores públicos etc, culpados ou inocentes, envolvidos em denúncias de depauperação (empobrecimento) do dinheiro público, que é justamente o nosso dinheiro, do Povo. Alguns anos atrás os "batedores da carteira" do Estado ficariam impunes. Esta notícia me lembrou o livro "Fábrica de Mentiras", de Gunter Wallraff. Cada coisa que se lê por aí...

  • Fabiana
    24 Mai 2018 às 12:49

    Eu faria a mesma coisa : acelera a papelada e prega e pau nessa corja !!

  • Nascimento
    24 Mai 2018 às 10:48

    Quanto mais poder, maior a responsabilidade, maior o julgamento. Parabéns Selma.

Sitevip Internet