Olhar Jurídico

Domingo, 20 de outubro de 2019

Notícias / Geral

Judiciário e MP suspendem expediente na segunda-feira por causa de greve dos caminhoneiros

Da Redação - Patrícia Neves

27 Mai 2018 - 14:30

Foto: Rogério Florentino Pereira/OD

Judiciário e MP suspendem expediente na segunda-feira por causa de greve dos caminhoneiros
O Poder Judiciário de Mato Grosso suspendeu as atividades nesta segunda-feira, 28.  O anúncio foi realizado na tarde de hoje, 27, em razão da greve dos motoristas de caminhões em todo Brasil. Há sete dias, mais de 560 pontos de protestos são registrados em rodovias federais, o que tem impedido o abastecimento de  postos de combustíveis em território nacional.  A exemplo do Poder Judiciário de Mato Grosso, o Ministério Público Estadual decidiu suspender o expediente nesta segunda-feira (28). 

A Portaria será divulgada nesta segunda-feira. O procurador-geral de Justiça, Mauro Benedito Pouso Curvo, informa, no entanto, que a solenidade de entrega da reforma e readequação das Promotorias de Justiça de Arenápolis prevista para amanhã  será mantida.

Leia Mais:
Taques garante que segurança pública não ficará comprometida

Segundo assessoria do TJ, os prazos processuais, nos processos físicos e eletrônicos, ficam prorrogados para o primeiro dia útil subsequente em todas as unidades judiciárias do Estado.

Para a suspensão das atividades a Administração considerou a situação caótica instalada no país, que dificulta e impossibilita a presença de partes às audiências.
Ainda conforme assessoria, entidades de classe realizaram pedidos pela suspensão dos serviços em decorrência das dificuldades no transporte público e particular.

A inauguração do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) dos Juizados Especiais, prevista para esta segunda, foi suspensa. Nova data será divulgada em breve.

A grave situação fez com que o Executivo Estadual decretasse situação de emergência. Saúde e Segurança Pública são prioridades na gestão. 

Diálogo:

Neste domingo (27), sétimo dia de greve, o governo volta a negociar com os caminhoneiros, ao mesmo tempo em que forças de segurança continuam a desobstruir pontos de bloqueio nas rodovias de todo o país. A categoria dos motoristas autônomos reivindica agora desconto de 10% no valor do diesel que será cobrado na bomba, a ampliação desta redução de 30 para 60 dias e o fim da suspensão da cobrança de tarifa de pedágio para eixo elevado dos caminhões para todo o país. Em Mato Grosso, dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) revelam que 15 pontos permanecem com protestos. 
Sitevip Internet