Olhar Jurídico

Domingo, 21 de julho de 2019

Notícias / Geral

Família de criança que perdeu três dedos com bombinha irá processar mercado

Da Redação - Fabiana Mendes

11 Jul 2018 - 17:00

Foto: Reprodução

Família de criança que perdeu três dedos com bombinha irá processar mercado
Jancarlos Albert de Lima, de 7 anos, teve três dedos amputados após uma bomba explodir na sua mão esquerda na cidade de Sinop (a 503 quilômetros de Cuiabá). Os pais do garoto irão processar mercado, já que o artefato explosivo estava a alcance de qualquer criança.

Leia mais: 
Rojão estoura na mão de criança de sete anos dentro de supermercado; produto estava à venda

A mãe do garoto, Janete Albert de Lima, mora no bairro Jardim das Palmeiras. Além de Jancarlos ela tem outros cinco filhos com idades entre quatro e 18 anos. Segundo ela, no dia do fato Jancarlos seguiu até o mercado atrás de seu tio, sem que ele percebesse. Ele estaria na casa de sua avó na companhia de outras pessoas, mas ninguém percebeu quando ele saiu. 

Jancarlos foi até o mercado e em determinado momento pegou uma bombinha e voltou para casa. Lá, ele acendeu o artefato, que acabou explodindo em sua mão. O garoto teve que ser encaminhado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde ficou internado por dois dias. Ele teve alta na manhã do último domingo (8). Além de perder os dedos, ele teve alguns ferimentos pelo corpo.

Janete afirmou que as bombinhas estavam na porta do estabelecimento e por este motivo a família decidiu acionar um advogado para evitar que o mesmo não aconteça com outras pessoas. “Não é por causa do nosso filho, é para evitar com filho de outras pessoas. Com o nosso [filho] foram os dedinhos da mão, mas outro pode perder a vida”, disse ao Olhar Jurídico.

Apesar do susto, Jancarlos passa bem e se recupera em casa. Os pais registraram um boletim de ocorrência.  

34 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • XANDRA
    13 Jul 2018 às 05:14

    Essa mãe deveria ser presa. Irresponsável

  • suely
    12 Jul 2018 às 12:34

    so uma observaçao, processa tambem o dono do isqueiro ou fosforo que ele riscou !! a bombinha em si nao ia fazer mal algum se ele nao fosse agostumado a usar o fogo. ne?

  • joão de Deus da Silva Filho
    12 Jul 2018 às 10:02

    é lamentável este acidente e não vamos buscar culpados,mais na realidade é notável a falta fiscalização dos órgãos competentes é comum a venda de fogos de artificio na maioria dos comercio de Sinop,sem nenhuma restrições.

  • cidadao
    12 Jul 2018 às 08:15

    tá bom pegou um rábula arranca dinheiro, e fala que é para que ninguém sofra da mesma forma. longe de medir a dor da mãe, mas tem de para de hipocrisia e falar que quer dinheiro, mas parte da cultura do brasileiro levar vantagem em qualquer coisa...o guri pegou!! assim tá no texto, outra coisa nem vc sabia onde tava o guri (foi negligente) e ele volta com bombinha (vc deveria ter pego o guri e tê-lo feito devolver e dar a ele uma corrigenda) a mãe falhou feio...quem não cuida dá sempre porcaria tá aí o resultado e quer por a culpa no comerciante...PÁRA COM ISSO DONA VC NEM SABIA ONDE TAVA SEU FILHO

  • andre
    12 Jul 2018 às 07:54

    Não cuidam da criança e querem processar o mercado. É o poste quem mija no cachorro nesse país, eu hein

  • JOSE ROBERTO
    12 Jul 2018 às 07:50

    Como Sempre o melhor do brasil é o brasileiro. O filho rouba o artefato, explode a mão e ainda a mãe quer processar o mercado??? Primeiro vá la e pague o que o seu filhou roubou.

  • Fabrício
    12 Jul 2018 às 07:47

    Lamento o que aconteceu com a criança, graças a Deus não aconteceu alguma coisa mais grave. Agora, processar o mercado porque o produto estava ao alcance da criança? E o tio? Quem estava cuidando do garoto na hora que ele pegou a bomba? O garoto furtou a bomba? Ninguém viu nada o tempo todo? Acredito que a culpa não é do mercado, e sim de quem deveria estar cuidando do garoto. Se for assim processa a fábrica da bomba também...lamento pelo garoto.

  • fabiana
    12 Jul 2018 às 07:46

    pelo que eu entendi da reportagem ele pegou e saiu sem pagar a bomba do mercado?

  • Michele
    12 Jul 2018 às 07:41

    Ao que parece houve furto da bombinha... Brasil, lugar onde as responsabilidades são transferidas!! Se o artefato tivesse sido comprado pelo menino, e uma representante do mercado (caixa) tivesse anuido com a venda, aí sim, mas como foi posta a matéria, a responsabilidade é dos pais.

  • Lulu
    12 Jul 2018 às 07:37

    Alem do garoto ser indisciplinado, os tutores sem competencia pra mante-lo em casa, o pobre do garoto ainda "pega" (pra nao falar rouba) o artefato e faz a arte que lhe custou 3 dedos....e a culpa e do dono do mercado...povo quer ganhar dinheiro facil mesmo! Bando de ....o restante e com vcs.....

Sitevip Internet