Olhar Jurídico

Quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Notícias / Geral

​Juiz federal afirma que TJMT não pode revogar decisão e eleições da Fiemt são suspensas novamente

Da Redação - Vinicius Mendes

03 Ago 2018 - 14:18

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

O ex-secretário Gustavo Oliveira

O ex-secretário Gustavo Oliveira

O juiz federal, Raphael Casella de Almeida Carvalho, que havia decidido pela suspensão das eleições da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), desta sexta-feira (3), afirmou que a decisão do desembargador Sebastião Barbosa Farias, que revogava a suspensão, não tem o poder de revogar a decisão proferida por juiz federal. As eleições da Fiemt, portanto, foram suspensas novamente.
 
Leia mais:
Desembargador derruba suspensão e autoriza eleições da Fiemt
 
O juiz federal Raphael Casella de Almeida Carvalho havia decidido suspender as eleições da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), marcadas para acontecer nesta sexta-feira (03), após Gustavo Oliveira, um dos candidatos à presidência, confessar a prática de vários atos de improbidade, ilegalidade e 'corruptela’. O juiz federal também alegou incompetência para o julgamento e remeteu os autos para a justiça estadual.
 
A defesa do ex-secretário argumentou que basta ser sócio de empresa do ramo de indústria para atender ao requisito de efetivo exercício da atividade econômica e que tais regras sequer impõe que o candidato seja sócio majoritário ou sócio proprietário, como é o caso de Oliveira.

Na madrugada de hoje (3), após recurso interposto pela Fiemt, o desembargador Sebastião Barbosa Farias suspendeu a decisão do juiz.

Porém, em uma nova decisão desta sexta-feira (3), o juiz Raphael de Almeida Carvalho afirmou que o desembargador, que atua no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, “não tem o condão de modificar, revogar ou atribuir efeito suspensivo, como neste caso, à decisão proferida por juiz federal”.

“Agravo de instrumento interposto perante a justiça estadual não é o remédio processual correto para modificar a decisão proferida  nestes autos, e por consequência, não merece prosperar a decisão da justiça estadual que atribui efeito suspensivo à decisão deste juiz federal, devendo ser suspenso o pleito eleitoral marcado para hoje”, diz o juiz em trecho da decisão.

A decisão do juiz federal Raphael de Almeida Carvalho só poderá ser modificada ou revogada por uma nova decisão proferida pelo tribunal competente, Tribunal Regional Federal da 1ª Região. As eleições, portanto, foram suspensas novamente. Caso a decisão seja descumprida poderá ser aplicada multa diária.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • DOMINGOS SANTANA DA CRUZ
    03 Ago 2018 às 19:18

    TRIBUNAL DE JUSTIÇA REVOGA DECISÃO DE JUIZ DE 1ª INSTANCIAS, E NÃO DECISÃO DE UM JUIZ FEDERAL,SÓ O TRF1 QUE PODE REVOGAR ESSA LIMINAR, CADA MACACO NO SEU GALHO SENÃO VIRA BADERNA.

  • Critico
    03 Ago 2018 às 16:10

    VERGONHA para JUSTIÇA ESTADUAL, a parcialidade nesta ficou flagrante.

  • Nene Bocaiuva
    03 Ago 2018 às 14:45

    Como se diz: esse (e qualquer outro/a) juiz federal se acha o "rei ou rainha da cocada preta)" têm solução para tudo, deveria/m se candidatar de vereador a presidente da república, assim teríamos todos os problemas resolvidos por essas sapiências.

Sitevip Internet