Olhar Jurídico

Quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Notícias / Geral

Imóvel no Jardim Cuiabá avaliado em R$5 milhões vai a leilão

Da Redação - Fabiana Mendes

18 Set 2018 - 11:33

Foto: Rogério Florentino / OD

Imóvel no Jardim Cuiabá avaliado em R$5 milhões vai a leilão
Um imóvel avaliado em R$5 milhões, localizado no bairro Jardim Cuiabá, área considerada nobre na Capital, será leiloado nesta sexta-feira (21), no 2º Leilão Regional da Justiça do Trabalho em Mato Grosso. O lance inicial da antiga sede do colégio Novo Ateneu será de R$ 4.375.042,32.

Leia mais: 
 Justiça Federal agenda testemunho em ação contra Mauro Mendes por leilão de mineradora

De acordo com a assessoria, além do imóvel, destacam-se ainda dois lotes em um condomínio de luxo , avaliados cada um em 320 mil reais e com lances individuais a partir de 160 mil. O leilão regional irá vender bens penhorados pelas varas trabalhistas de todo o estado.
 
Os lances já podem ser dados pelo site do leiloeiro oficial . Também é possível fazer as ofertas presencialmente. Para isso, o interessado deverá comparecer no dia 21 de setembro no Auditório do Cefor (6º andar do Prédio Administrativo do TRT, em Cuiabá), das 8h30 às 14h30.
 
Ao todo, o Leilão Regional inclui um total de 49 itens à venda, que abrange imóveis (casas e terrenos), automóveis (carros, motos e caminhões), entre outros bens, como elevadores, aparelhos de ar-condicionado, combustível e bicicletas ergométricas, penhorados em todo o estado para pagamento de dívidas trabalhistas.
 
Como participar
 
Quem desejar participar pela internet precisa acessar o site do leiloeiro e se cadastrar previamente. Somente após o cadastro ser autorizado é que o interessado estará apto a ofertar os lances.
 
Aqueles que quiserem fazer os lances de forma presencial precisam comparecer no local no dia e hora indicados com os seguintes documentos:
 
- Pessoa física: documento de identificação pessoal com foto e CPF. No caso de arrematação de bens imóveis, os casados ou que convivem em união estável deverão informar o nome e CPF do cônjuge ou companheiro.
 
- Pessoal jurídica: cópia do Cadastro Social com as respectivas alterações e documentos pessoais do titular ou seu representante legal.
 
- Participação por procuração: o documento deverá conter poderes específicos para o ato de arrematação.
 
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Eduardo
    19 Set 2018 às 06:51

    Com o tanto de processos que inscreveram penhora no imóvel, depois de arrematado vai levar 20 anos pra retirar todas. Corre duro dessa bucha txomano. Por 1 milhão tá caro.

Sitevip Internet