Olhar Jurídico

Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Notícias / Eleitoral

Defesa de Mauro Mendes perde prazo e Taques ganha direito de resposta

Da Redação - Lucas Bólico

22 Set 2018 - 15:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/ OD

Defesa de Mauro Mendes perde prazo e Taques ganha direito de resposta
O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral confirmou decisão que concedeu direito de resposta ao candidato ao Governo de Mato Grosso Pedro Taques (PSDB) contra Mauro Mendes (DEM) por propaganda veiculada no último dia 10 de setembro que acusava a gestão tucana de atrasar salário dos servidores. A defesa de Mauro Mendes chegou a pedir nulidade processual, alegando não ter sido intimada para apresentar defesa, tese que foi rechaçada pelo relator do caso, juiz Paulo Cézar Alves Sodré, cujo voto foi seguido pela maioria dos juízes eleitorais.

Leia também:
Mauro Mendes entra com recurso e Justiça suspende direito de resposta de Taques em propaganda eleitoral

 
Paulo Sodré havia concedido direito de resposta a Pedro Taques por considerar que Mauro Mendes usou em seu horário eleitoral informações falsas sobre suposto atraso no pagamento de servidores. A assessoria jurídica de Mauro Mendes então recorreu e o mesmo juiz suspendeu o direito de resposta. Em decisão subseqüente, Sodré voltou a conceder o direito a Pedro Taques. Depois disso os advogados de Mendes alegaram ausência de citação e cerceamento da defesa para pedir nulidade processual.
 
O entendimento do relator foi de que como a parte compareceu espontaneamente, ficou afastada a necessidade de citação. Quando foi aberta divergência em um dos votos, o juiz Jackson Coutinho pediu a palavra e ressaltou que nos autos era possível verificar a certidão de que foi envido email à defesa de Mendes contendo a decisão, o que enterrou de vez a discussão sobre a possível nulidade.
 
Com a decisão, o direito de resposta, que já foi produzido pela campanha de Taques e entregue à emissora que transmite a propaganda eleitoral, deve ir ao ar já na segunda-feira (24).
 
A propaganda de Mauro Mendes a ser respondida foi ao ar no último dia 10 e dizia que o salário do servidor estava com atraso de 10 dias, mas a Constituição Estadual prevê o pagamento do funcionalismo público até o dia 10 do mês subsequente.
 
O parecer da Procuradoria Regional Eleitoral também foi contrário à nulidade solicitada pela defesa de Mauro Mendes.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • josé epaminondas sotter
    23 Set 2018 às 13:54

    Os advogados do Mauro estão mais preocupados em perseguir os veículos de comunicação que falam a verdade sobre o candidato.

  • Jackson
    23 Set 2018 às 13:20

    Pode espernear governador, o senhor já era!!! O povo não é bobó chera chera como o senhor pensava!!! Tchau!!!!!

  • Roni
    23 Set 2018 às 07:15

    Parabéns, cyrineu!

  • marcos gonçalves funcionario publico
    22 Set 2018 às 21:15

    o mauro mendes é um grande mentiroso e tem gente acreditando em sua mentiras

  • joaoderondonopolis
    22 Set 2018 às 18:54

    Para Taques é pior, quanto mais ele aparece ou fala em candidatura, mais perde votos.

  • zémaneh
    22 Set 2018 às 17:11

    Mauro "Mentes"...! votar errado por ignorância em relação ao comportamento pretérito do grupo político é uma coisa, votar consciente em indivíduos sabidamente sem escrúpulos é cultivar a falta de caráter da qual não poderemos reclamar futuramente posto que a apoiamos no presente (gostamos dela).

Sitevip Internet