Olhar Jurídico

Terça-feira, 22 de outubro de 2019

Notícias / Eleitoral

Relatora e mais dois votam pela desaprovação das contas de Janaína Riva

Da Redação - Vinicius Mendes

17 Dez 2018 - 14:49

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Relatora e mais dois votam pela desaprovação das contas de Janaína Riva
A juíza-membro do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Vanessa Curti Perenha Gasques, votou pela desaprovação das contas eleitorais de 2018 da deputada estadual Janaína Riva (MDB). Gasques, que é relatora do processo, levou em consideração algumas irregularidades apontadas pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) de Mato Grosso, órgão que exerce as funções eleitorais do Ministério Público Federal. Dois outros membros também votaram pela desaprovação, mas o julgamento foi adiado pois o desembargador Pedro Sakamoto.
 
Leia mais:
MPF pede reprovação de contas de Janaína Riva por contratações omitidas em campanha
 
O julgamento das contas de Janaína foi pauta da sessão do Pleno do TRE-MT desta segunda-feira (17). O procurador Pedro Melo Pouchain Ribeiro, da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) de Mato Grosso, pediu a desaprovação das contas após a verificação de irregularidades técnicas.
 
Segundo o procurador, na prestação de contas há falta de documentos que comprovem a contratação de alguns prestadores de serviço. Também foram apontadas outras falhas, como lista de passageiros nos vôos fretados e pessoas que receberam material de campanha, mas não tinham o nome na lista apresentada, entre outras.
 
A defesa de Janaína contestou os apontamentos do MPF e ainda apresentou uma prestação retificada, mas esta foi negada pela juíza. A relatora levou em consideração o parecer do procurador e votou pela desaprovação.
 
Além da juíza Vanessa Curti Perenha Gasques, outros dois membros do Pleno votaram pela desaprovação. No entanto, o julgamento foi adiado após pedido de vistas do desembargador Pedro Sakamoto. O restante dos membros decidiu aguardar o voto do desembargador, para votar.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Povo de MT
    18 Dez 2018 às 08:22

    Tinha que impugnar a sua posse. Mas como sabemos que a nossa justiça anda de mãos dadas com as ilegalidades. Não vai virar nada. Brasil país de tolos.

  • Ari
    18 Dez 2018 às 07:28

    Realmente é uma disparidade total, onde para se eleger um presidente foram gastos pouco mais de dois milhões, para se eleger um deputado gasta-se um milhão, a favor do povo que não deve ser um gasto desse vulto.

  • Neto.
    17 Dez 2018 às 22:42

    A justiça tarda mas não falha!

  • JUSTO VERISSIMO
    17 Dez 2018 às 20:58

    Ainda tem eleitores que vota nessa senhora, sabendo que é seu pai.

  • Maaa
    17 Dez 2018 às 17:18

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • João Evangelista
    17 Dez 2018 às 17:16

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Joaquim Teixeira
    17 Dez 2018 às 16:59

    Salva pelo gongo... Desembargador Sakamoto a sociedade pede que vc faça a coisa certa, chega de família Riva na Assembléia.

  • Zeca
    17 Dez 2018 às 16:04

    Ela passou 04 anos batendo no Taques, sem fazer nenhum projeto para a população de Mato Grosso. Agora se encontra em débito com a justiça eleitoral.

  • Juracy Ady
    17 Dez 2018 às 15:48

    Péssima deputada

Sitevip Internet