Olhar Jurídico

Segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Notícias / Eleitoral

No dia da cerimônia, desembargador nega pedido de Fávaro para suspender diplomação de Selma

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

18 Dez 2018 - 10:51

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

No dia da cerimônia, desembargador nega pedido de Fávaro para suspender diplomação de Selma
O desembargador Pedro Sakamoto, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) negou nesta segunda-feira (17) um pedido de liminar feito pelos advogados do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), para barrar a diplomação da senadora eleita Selma Arruda (PSL). A cerimônia ocorreu na noite de ontem.

Leia também
Mauro pede união a mato-grossenses e diz que vai colocar MT nos trilhos com apoio do cidadão


No pedido de liminar, Fávaro e seus dois candidatos a suplentes, José Esteves Lacerda Filho e Geraldo de Souza Macedo alegaram que a diplomação não poderia acontecer por conta das provas apresentadas de que a juíza aposentada cometeu abuso de poder econômico e ‘caixa 2’ em sua campanha.

Os requerentes também argumentaram que além do conjunto de abusos e ilicitudes comprovados nos autos, está demonstrado que o repasse da quantia de R$ 1,5 milhão é resultado de contrato simulado de mútuo, realizado entre a candidata Selma Arruda e seu suplente Gilberto Possamai, cuja prática é vedada pela legislação eleitoral.

Por fim, Fávaro afirmou que a plausibilidade jurídica do requerimento é notória, “pois é incontroverso nos autos que a Representada contratou mais R$ 1,5 milhão sem declarar a Justiça Eleitoral, vide contrato entabulado com a empresa de publicidade e cópias dos cheques pessoais da Candidata Selma e seu primeiro suplente.

Em sua decisão, Sakamoto explicou que a fase de instrução probatória ainda não se encerrou e que falta fundamentações dos impetrantes e que a suposta prática de abuso econômico ainda não foi comprovada.

“Destarte, infere-se da argumentação deduzida pelos requerentes que não existem elementos suficientes que  justifiquem ser imperiosa a interferência de plano, conforme pleiteado pelos requerentes”, diz a decisão.

Selma Arruda foi a candidata ao Senado mais votada no Estado e eleita com mais de 678 mil votos.

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Joaquim Alexandre Neto
    19 Dez 2018 às 14:23

    O Fávaro ficou sem era e sem beira

  • MARCOS
    19 Dez 2018 às 10:24

    nao importa se ela e uma ex juiza justiça e pra todos votei nela mas acho que ela fez msm caixa 2

  • José Loureiro
    18 Dez 2018 às 21:11

    Sugiro ao Fávaro que comece a fazer campanha para próxima eleição visitando 3 Município por mês, que em quatro anos Ele visitou o todo Mato Grosso.

  • Pedro
    18 Dez 2018 às 17:45

    Uma vez diplomada....já era Fávaro ! Agora o processo rola até o final do mandato !! Vai plantar soja que ganha mais

  • Joaquim Teixeira
    18 Dez 2018 às 15:10

    Teka Almeida e seu famoso jeitinho brasileiro. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Joaquim Teixeira
    18 Dez 2018 às 15:09

    Pq vetado? TRE ARREGOU...

  • Joaquim Teixeira
    18 Dez 2018 às 14:27

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Joaquim Teixeira
    18 Dez 2018 às 13:08

    Não teve peito...

  • Fio de Deus
    18 Dez 2018 às 12:50

    Aceita que dói menos, gastou milhões e não foi eleito, agora quer ganhar no tapetão, o povo não te quer como representante.

  • Juracy Ady
    18 Dez 2018 às 12:31

    Corporativismo venceu. Qualquer país sério seria barrada Selma. Sakamoto fez vista grossa. E é vc amigo. Que trabalha todos os dias. Se estressa que sustenta esse judiciário rico e improdutivo. E mais os dezesseis por cento de reajuste mais o auxílio moradia que será mantido. Palmas para José Medeiros que votou a favor, dando um tapa na cara da sociedade.

Sitevip Internet