Olhar Jurídico

Quinta-feira, 20 de junho de 2019

Notícias / Civil

Telexfree é condenada a restituir R$ 6,1 mil para investidora de Cuiabá

Da Redação - Wesley Santiago

25 Abr 2019 - 11:01

Foto: Reprodução

Telexfree é condenada a restituir R$ 6,1 mil para investidora de Cuiabá
A empresa Ympactus Comercial Ltda. (Voip 99 Telexfree) foi condenada pela juíza Sinii Savana Bosse Saboia Ribeiro, da 8ª Vara Cível de Cuiabá a ressarcir uma mulher em R$ 6,1 mil. Ela teria investido US$ 1.375 na compra de produtos da empresa, que teve as atividades suspensas no Brasil pela Justiça. A decisão consta no Diário da Justiça Eletrônico (DJE).

Leia mais:
Telexfree é obrigada a devolver mais de R$ 16 mil a cuiabano
 
Consta dos autos que a mulher teria dois kits (VOIP 99TELEXFREE) na modalidade ADCentral, tendo efetuado o pagamento de uma no valor de U$ 1.375,00 cada, que totalizava R$ 6.113,25. Além disto, ressaltou que a empresa não se trata de empresa de telefonia, uma vez que não possui autorização junto a Anatel para funcionamento e que possui o “mais puro interesse em lesar seus consumidores”.
 
Em sua decisão, a magistrada pontuou que “mostra-se demonstrado o inadimplemento contratual da ré, ‘porquanto resta incontroverso que a Telexfree deixou de cumprir sua obrigação contratual, tanto é que ela mesma, tentando justificar o descumprimento, agarra-se ao teor da decisão judicial acreana’”.
 
Sendo assim, a juíza entende cabível que a Telexfree proceda a restituição dos valores dispendidos pelo autor, consistente na devolução do valor pago de R$ 6.113,25, tendo em vista que restou comprovado nos autos que a requerente realmente aderiu ao plano proposto pela instituição requerida, no entanto, não recebeu nem os produtos que adquiriu tampouco a renda mensal pretendida.
 
Porém, em relação aos danos morais, a magistrada pontua que a parte autora assumiu o risco do negócio ao contratar com a requerida objetivando lucros fáceis, de modo que deve arcar com o ônus de sua escolha. Ela também não visualizou nos autos qualquer elemento probatório suficiente para demonstrar a ocorrência dos danos morais sofridos.
 
Com isto, a Telexfree foi condenada a restituir os valores dispendidos pela parte autora, no valor de R$ 6.113,25, com juros de 1% a partir da citação e correção monetária pelo INPC desde o desembolso. A empresa também foi obrigada a pagar as custas processuais e honorários advocatícios, fixados em 15% sobre o valor atribuído à causa.

Telexfree

Em outubro de 2016, James Merril, um dos donos da Telexfree, admitiu à Justiça de Massachusetts, nos Estados Unidos da Américas (EUA), ser culpado por "fraude" e "conspiração". Merril e seu sócio brasileiro, Carlos Wanzeler, são acusados de montar um esquema de pirâmide financeira para venda do serviço de telefonia Voip que atraiu cerca de 1 milhão de pessoas. As informações são do The Wall Street Journal. Em Mato Grosso, diversas ações tramitam na Justiça. Investidores tentam conseguir ressarcimento com o fim do programa.
 
O americano confessou o esquema após um acordo os promotores para redução de pena. Ainda assim, ele poderá pegar até 10 anos de prisão e terá de devolver bens avaliados em US$ 140 milhões. O julgamento está marcado para fevereiro de 2017. Seu sócio brasileiro é considerado foragido nos Estados Unidos. Não foi informado se este valor é referente a colaboradores no Brasil.

No Brasil, a empresa estreou em 2012 A Telexfree oferecia ligações de longa distância mais baratas pela internet e prometia ganhos de mais de 200% ao ano para quem publicasse anúncios e trouxesse novos clientes. As investigações nos EUA apontaram que menos de 1% do que a empresa recebia vinha dos produtos de telefonia e que a empresa é um esquema de pirâmide disfarçada.

Em fevereiro de 2014, a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT) manteve a condenação em primeira instância, que determinou que a empresa Telexfree restitua R$ 101.574,00 que foram investidos pelo advogado de Rondonópolis (210 km de Cuiabá), Samir Badra Dib, na aquisição de kit´s denominados VOIP 99.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Miguel da silva santos
    28 Abr 2019 às 11:47

    Como fazer pra conseguir recupera a grana investida?

  • Maria dos anjos
    26 Abr 2019 às 22:18

    Eu também perdir mas de 12.000 em vestimento .

  • Sonia
    26 Abr 2019 às 15:48

    Envestir 3.000 . quero resgatar

  • Sonia
    26 Abr 2019 às 15:46

    Como faço investir 3.000 e semana seguinte bloqueou

  • Paulo Brito
    26 Abr 2019 às 13:17

    Também gostaria de saber como recuperar meu dinheiro investido 2.800

  • paulo
    26 Abr 2019 às 12:03

    agora sim to vendo que ta tendo lei no Brasil são as primeiras condenações que me parece que vai ressarcir os divulgadores eu também tenho para receber as ações da Telex free

  • Danielle
    26 Abr 2019 às 10:04

    Gostaria do contato desses advogados , também queria saber sobre como proceder

  • Célia Leite
    26 Abr 2019 às 09:57

    E o pessoal do Paraná, quando irá ser ressarcido?????????

  • Solange Aparecida Berto Frontoura e Edson Diogo Frontoura
    26 Abr 2019 às 09:05

    Também investimos na telex Free e não recebemos nada,logo tudo parou,o que faço??

  • Juarez
    26 Abr 2019 às 08:04

    Eu envetir 3000 reais ok eu faço agora preciso de um advogado para entra com ação na justiça

Sitevip Internet