Olhar Jurídico

Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Notícias / Criminal

Fux mantém delação de Silval, Nadaf e empresária no STF por citações a Bezerra

Da Redação - Arthur Santos da Silva

23 Mai 2019 - 07:50

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Fux mantém delação de Silval, Nadaf e empresária no STF por citações a Bezerra
O ministro Luiz Fux decidiu por manter o Supremo Tribunal Federal (STF) como responsável pelo gerenciamento das delações premiadas firmadas por Silval Barbosa e Pedro Nadaf. Conforme adiantado por Olhar Jurídico, as colaborações seguem no STF por ligação com o inquérito 4639, que investiga o deputado federal Carlos Bezerra. Reportagem já havia divulgado despacho para que as delações fossem incorporadas.
 
Leia também
Delações da família Barbosa e de Pedro Nadaf são incorporadas em inquérito contra Bezerra


“Tendo em vista a compreensão do dominus litis no sentido da existência de conexão do presente Acordo de Colaboração Premiada com os fatos narrados nos autos do Inq. 4639 [Bezerra], que tramita perante esta Corte, resta demonstrada a manutenção da competência do Supremo Tribunal Federal para o processamento desta”, afirmou Fux em decisão publicada nesta quinta-feira (23).
 
O inquérito contra Bezerra, identificado pelo número 4639, é proveniente da Operação Ararath e possui como núcleo fático supostos empréstimos fraudulentos pagos com dinheiro público.

O termo de delação de Silval, identificado pelo número 7085, comporta ainda as colaborações de Roseli de Fátima Meira Barbosa, Rodrigo da Cunha Barbosa, Antônio da Cunha Barbosa Filho e Sílvio Cézar Correa Araújo.

O ministro Luiz Fux também determinou que delação premiada da empresária Marilene Aparecida Ribeiro seja mantida no Supremo por fazer citação ao deputado federal Carlos Bezerra.
 
A decisão surge após procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, emitir parecer para que as delações premiadas firmadas pelo ex-governador e pelo ex-secretário de Casa Civil permanecessem com gerenciamento no Supremo Tribunal Federal (STF).
 
Dodge emitiu parecer em razão da decisão do ministro Luiz Fux, no dia 18 de dezembro de 2018, que promoveu a cisão de linhas investigativas provenientes da Operação Ararath que estavam no STF. Na ocasião, investigações foram enviadas para outras instâncias. 

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • JOÃO GRANDE
    23 Mai 2019 às 16:39

    Um dia a casa cai.

  • Carlos Rodrigues
    23 Mai 2019 às 14:44

    Munrá de fato tem vida eterna. afff

  • JOSE NILDO
    23 Mai 2019 às 11:43

    CARLOS BEZERRA 50% JÁ ERA PRA ESTAR NA CADEIA A MUITOS ANOS...NUNCA FOI NOVIDADE PRA NINGUEM AS PROPINA QUE ELE COBRA PARA SUAS EMENDAS CEGAEM NOS MUNICIPIOS E OUTROS DESVIO EM OBRAS ....ISSO É VERDADE TA NA DELAÇÃO

  • Maria Flor dos santos
    23 Mai 2019 às 10:50

    QUEM NÃO SABE QUE ESSE "VÉIO BEZERRA" É RÁPIDO DEMAIS EM BENEFÍCIO PRÓPRIO LEMBRAM DO INSS? AFUNDOU

  • NONATO
    23 Mai 2019 às 08:44

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • CHIRRÃO
    23 Mai 2019 às 08:38

    GLÓRIA DEUS!! SUA CASA HÁ DE CAIR.

  • DOMINGOS SANTANA DA CRUZ
    23 Mai 2019 às 08:15

    ESSE AÍ NÃO VAI SER PRESO NUNCA, E O MESMO DILEMA DE PAULO MALUF,SE POR ACASO FOR CONDENADO ESTÁ VELHO,DOENTE E NÃO CONSEGUE LOCOMOVER-SE SOZINHO.

Sitevip Internet