Olhar Jurídico

Terça-feira, 18 de junho de 2019

Notícias / Eleitoral

Novo juiz membro do TRE toma posse com aval de Sérgio Moro

Da Redação - Vinicius Mendes

12 Jun 2019 - 12:21

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Novo juiz membro do TRE toma posse com aval de Sérgio Moro
O novo juiz membro titular do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Sebastião Monteiro da Costa Júnior, foi empossado na manhã desta quarta-feira (12) na sede da Justiça Eleitoral em Cuiabá. Sebastião concorria à vaga juntamente com o advogado Ulisses Rabaneda, que já havia atuado como juiz titular, inclusive como relator do processo que cassou o mandato da senadora Selma Arrda (PSL), que é do mesmo partido do presidente Bolsonaro.
 
A nomeação foi feita pelo presidente Jair Bolsonaro. Sebastião disse não saber se a senadora Selma teve alguma influência na escolha do presidente, mas afirmou que teve a indicação avalizada pelo Ministério da Justiça, comandado pelo Sérgio Moro, o que, segundo ele pode ter contribuído para a nomeação.
 
Leia mais:
Após ação na Justiça, Hospital Júlio Müller assume compromisso de deixar de jogar esgoto em córrego
 
A vaga é decorrente do fim do mandato do advogado Ulisses Rabaneda, que concorreu novamente à vaga e chegou a empatar com Sebastião na composição da lista tríplice. Vários concorrentes já defenderam figuras políticas conhecidas no Estado, como o próprio Sebastião, que já patrocinou a defesa do ex-governador Blairo Maggi. Esta foi a segunda vez que Sebastião foi indicado para a vaga.
 
“Foi uma disputa saudável, é a segunda vez que eu concorro. A primeira vez figurei na lista, em 2017, esta é a segunda vez que eu percorro, figurei novamente, fui indicado pelo Tribunal de Justiça, e terminou com resultado da minha nomeação. Estou muito satisfeito, estou muito motivado, e espero que nestes próximos dois anos eu consiga apresentar o melhor dos trabalhos para a sociedade mato-grossense”.
 
Em dezembro do ano passado foram escolhidos para compor a lista tríplice os advogados Sebastião Monteiro, com 22 votos, Ulisses Rabaneda, também com 22 votos, e Darlã Martins, com 14 votos. O presidente Jair Bolsonaro então nomeou Sebastião como novo juiz. Monteiro acredita que a indicação aprovada pelo Ministério da Justiça, comandada pelo ministro Sérgio Moro, pesou para a sua escolha.
 
“Acredito que seja porque é a segunda vez que eu concorro, figurando em primeiro da lista, mas acredito que a análise curricular teve peso, minha indicação também partiu do ministro Sérgio Moro, o ato de nomeação”, disse o juiz.
 
O concorrente de Sebastião, Ulisses Rabaneda, ocupava a vaga no TRE-MT, que ficou aberta com o fim do biênio 2017/2018. Segundo a assessoria do TRE-MT o regimento interno permitia que ele concorresse à vaga novamente. 
 
Rabaneda, inclusive, chegou a atuar como relator do processo que cassou o mandato da senadora Selma Arruda. Além disso, na época em que Selma ainda atuava como juíza, Rabaneda defendeu políticos que a então juíza condenou. Sebastião disse acreditar que o que de fato pesou foram as indicações que recebeu.
 
“Sinceramente não sei [se Selma influenciou], o que eu posso te afirmar é que as minhas indicações do Tribunal de Justiça foram decisivas para a minha nomeação. Agora, quem poderá realmente responder se ocorreu alguma participação de algum membro da bancada é o próprio presidente da república ou o ministro Sérgio Moro, porque realmente o trabalho constante que eu desenvolvi foi um trabalho local, dentro do Tribunal de Justiça, que é o rito da escolha do membro do TRE, na categoria jurista. [A escolha] começa no Tribunal de Justiça e termina na Casa Civil da Presidência da República, antes disso passa pelo Ministério da Justiça e finaliza com a nomeação pelo presidente”, disse Monteiro.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • José Inocêncio
    12 Jun 2019 às 20:08

    Essas nomeações dá margem para considerações a respeito da merecimento intelectual do contemplado, como minha cara colega Ana mencionou o correto seria concurso publico de provas e títulos.

  • Adermarzinho
    12 Jun 2019 às 18:17

    Agora está claro o pq do murmúrio do Dr. Rabanada.

  • RAPHAEL HENRIQUE COENGA MENEZES
    12 Jun 2019 às 15:20

    parabéns

  • Soraya
    12 Jun 2019 às 14:02

    Agora entendi porque o Ulisses Rabaneda se posicionou contra o Ministro Sérgio Moro no caso do grampo ilegal do Telegran, é pura dor de cotovelo porque não foi ele o escolhido.

  • Ana
    12 Jun 2019 às 13:08

    Juiz sem concurso público só nesse país de ME...mesmo.

  • GILMAR RODRIGUES DE BRITO
    12 Jun 2019 às 12:51

    tre perde um grande juiz serio dedicado as calças de mt ,fez um grande trabalho nos dois anos que esteve por lar ,meretismos DR.,wilisses rabaneda

  • Valdiney mendes
    12 Jun 2019 às 12:35

    O jornal não publicou os comentario na reportagem do deputado jose Medeiros porque????????

Sitevip Internet