Olhar Jurídico

Terça-feira, 19 de novembro de 2019

Notícias / Civil

Galli recorre ao STF para não pagar R$ 100 mil após manifestações preconceituosas

Da Redação - Arthur Santos da Silva

17 Jun 2019 - 10:35

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Galli recorre ao STF para não pagar R$ 100 mil após manifestações preconceituosas
O ex-deputado Federal Victório Galli (PSL) recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar anular decisão que o condenou a pagar R$ 100 mil por danos morais coletivos em consequência de manifestações preconceituosas. 
 
Leia também
Deputado entra na Justiça para anular projeto que retira do Indea fiscalização sobre recursos naturais


O ex-parlamentar tenta sustar a condenação por meio de reclamação contra a juíza Celia Regina Vidotti, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, responsável por sentenciar o caso.

A ação civil proposta pela Defensoria Pública de Mato Grosso demonstrou constantes manifestações consideradas preconceituosas. Revelou-se o discurso de ódio contra gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros.

Na decisão que condenou Galli, a juíza Célia Regina Vidotti diz que não concordar com relações homoafetivas é um direito de qualquer cidadão e uma garantia legal, mas que abusos não podem ser tolerados.
 
"O que não pode ser tolerado são os abusos, as manifestações que ultrapassam o razoável. Assim, evidenciando o preconceito, a injúria, ou qualquer tipo de agressão, deve-se haver reprimenda para que tais atos não se repitam", diz na sentença.
 
Segundo a decisão que gerou a necessidade de indenizar, em uma entrevista a uma rádio local, Galli disseminou o ódio, inclusive com a utilização de personagens de desenhos animados.
 
"Com relação a essa situação do Mickey e da Disney, a gente vê que em todas as suas atuações, eles fazem apologia ao homossexualismo”, disse o ex-deputado na ocasião. 
 
A reclamação de Galli no STF será julgada pela ministra Rosa Weber.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gladston
    18 Jun 2019 às 07:43

    Não sou contra falar o que se tem vontade, sou contra a pessoa arregar depois! Dessa idade já teve tempo para aprender, se não aprendeu, PAGUE!

  • Antonio
    17 Jun 2019 às 20:13

    Era o caso desse deputado ser interditado em sanatório, com tantos problemas ele se preocupa com a sexualidade do Mikey e da Minnie.

  • edgard
    17 Jun 2019 às 18:19

    A língua é o chicote do corpo.

  • Danilo Catunda
    17 Jun 2019 às 12:41

    Vai chorar agora???? paga e assume a responsabilidade pelo que fala. Não consegue sustentar a própria língua????

  • Thiago
    17 Jun 2019 às 11:36

    KKKKKKK Vaz uma vaquinha GALLI

  • Josiane Malinowski
    17 Jun 2019 às 11:27

    Pena que esse idoso pense de maneira retrógrada.

Sitevip Internet