Olhar Jurídico

Terça-feira, 15 de outubro de 2019

Notícias / Criminal

Advogado pede envio de todos os processos da Operação Ararath à Justiça Eleitoral

Da Redação - Arthur Santos da Silva

17 Jun 2019 - 11:16

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Advogado Fabian Feguri

Advogado Fabian Feguri

O advogado Fabian Feguri, que defende o ex-secretário de Fazenda Eder Moraes em processos provenientes da Operação Ararath, requereu ao juiz Jeferson Schneider, da Quinta Vara Federal em Mato Grosso, o envio à Justiça Eleitoral de todos os casos sobre o suposto esquema financeiro à margem do oficial.
 
Leia também 
Juíza pede parecer sobre possível anulação da Sodoma e envio do processo ao TRE


Ao Olhar Jurídico, Fabian explicou que o Ministério Público Federal (MPF), em todas as denúncias, alega que os crimes praticados tiveram, entre outros, o intuito de financiamento ilegal de campanha do grupo político ligado aos ex-governadores Blairo Maggi e Silval Barbosa.
 
Ainda segundo Fabian, o requerimento para declínio de competência já foi comunicado de maneira oral durante algumas das últimas audiências. O advogado está formulando petição escrita para anexar aos processos.
 
A defesa de Eder Moraes utiliza entendimento recente do Supremo Tribunal Federal (STF) segundo o qual crimes comuns correlatos a caixa 2 devem ser julgados pela Justiça Eleitoral.
 
No contexto geral, a Operação Ararath, produto de uma atuação conjunta envolvendo o Ministério Público Federal (MPF), o STF, a Justiça Federal e a Polícia Federal (PF), teve por objetivo desbaratar uma organização criminosa que praticava crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro.

Estimativas iniciais especulavam sobre crimes no montante de R$ 500 milhões. A delação do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, revelou montante desviado superior a R$ 1 bilhão.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet