Olhar Jurídico

Terça-feira, 23 de julho de 2019

Notícias / Criminal

Superintendente pede transferência de diretores da PCE presos em operação

Da Redação - Arthur Santos da Silva

19 Jun 2019 - 10:15

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto/Reprodução

Superintendente pede transferência de diretores da PCE presos em operação
A Superintendência Penitenciária da Região Leste solicitou a transferência do diretor da Penitenciária Central do Estado (PCE), Revétrio Francisco da Costa e do sub-diretor, Reginaldo Alves dos Santos, presos preventivamente em consequência da Operação Assepsia.  

Leia também 
Prisões decretadas contra diretor da PCE e PMs são mantidas em audiência de custódia

 
Ambos atualmente estão no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC). O objetivo é que Revétrio e Reginaldo sejam encaminhados ao prédio do Serviço de Operações Penitenciárias Especializadas (SOE). A solicitação será julgada pela Segunda Vara Criminal de Cuiabá.
 
Segundo a Secretaria de Segurança, a solicitação foi realizada em decorrência de que os envolvidos "são agentes penitenciários,  atuam como gestores de unidade que abriga presos de alta periculosidade e no centro de custódia também há presos com este perfil".

A Polícia Civil de Mato Grosso cumpriu na terça-feira (18) sete mandados de prisão e 8 ordens de busca e apreensão na Operação Assepsia, deflagrada após investigações da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) sobre a entrada de aparelhos celulares em unidades prisionais.
 
No dia 6 de junho, na Penitenciária Central do Estado (PCE), foram localizados 86 aparelhos celulares, dezenas de carregadores, chips e fones de ouvido.  Todo o  material estava acondicionado dentro da porta de um freezer, que foi deixado naquela unidade para ser entregue a um dos detentos.
 
Por meio dos depoimentos, da análise de imagens, conteúdo de aparelhos celulares apreendidos e ainda, da realização de diversas diligências, foi possível identificar e comprovar que três policiais militares foram os responsáveis pela negociação e entrega do freezer recheado com os celulares.

Segundo a Polícia Civil, com a ciência do diretor e do subdiretor da unidade, os militares enviaram o aparelho congelador que era destinado a um dos líderes da facção criminosa Comando Vermelho.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • De olho
    20 Jun 2019 às 02:05

    Mais um tiro no pe no final nao se prova nada agora se o diretor estivesse envolvido nao teria vistorias no freezer passaria direto vcs nao acha mais um TIRO NO PE DA NOSSA CELEBRIDADE DR.. (GCCO)

  • Wesley Santos
    19 Jun 2019 às 22:06

    Meu amigo vai sair ileso dessa, homem de vigor, com paixão no que faz. A verdade logo aparecerá, por ora fique em paz e estamos com você.

  • noronha
    19 Jun 2019 às 18:31

    lima se nao quiser ir preso é só andar conforme determina a lei!!!!! errou tem que pagar sem tratamento diferenciado!! quantos marginais esses telefones ia beneficiar,quantas pessoas iam cair no golpe dos presos que iam receber o celular.

  • LIMA
    19 Jun 2019 às 13:30

    Concordo com superintendente. Já deveria fazer uma cela para os agentes prisional ao anexo ao SOE.se os bombeiros tem lá no quartel dos bombeiros. A civil tem. A PM tem em santo Antonio de Leverger .A federal tem.e porque que nós não podemos ter.nao é que eu quero que faça uma cela para nós. Mais somos humanos erramos.extressamos.somos falhos.podemos matar e podemos morrer também. estamos constante em luta contra o mal. João Batista ver essa cela ai .

Sitevip Internet