Olhar Jurídico

Domingo, 18 de agosto de 2019

Notícias / Criminal

Juiz desmembra ação para recomeçar instrução da Sodoma contra Faiad; audiências marcadas

Da Redação - Arthur Santos da Silva

10 Jul 2019 - 10:29

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juiz desmembra ação para recomeçar instrução da Sodoma contra Faiad; audiências marcadas
O juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, determinou no dia 9 de julho o desmembramento do processo proveniente da Operação Sodoma, quinta fase, por desvio R$ 8,1 milhões. A determinação retira dos autos principais o advogado e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Francisco Anis Faiad.

Leia também 
STJ deve decidir se compartilha provas sobre conselheiros com a Receita Federal
 

A medida respeita decisão em Exceção de Suspeição que anulou todos os atos processuais estabelecidos pela então juíza Selma Rosane Arruda contra Faiad. Antes de se aposentar e alcançar o cargo de senadora, Selma atuou na Sétima Vara.
 
Com o desmembramento, seguem nos autos principais o ex-governador Silval da Cunha Barbosa, Silvio Cezar Corrêa Araújo, José de Jesus Nunes Cordeiro, Cesar Roberto Zilio, Pedro Elias Domingos de Mello, Valdísio Juliano Viriato, Juliano Cezar Volpato, Edésio Corrêa, Alaor Alvelos Zeferino de Paula e Diego Pereira Marconi.
 
Jorge Tadeu determinou ainda nos autos principais audiências para interrogatórios. No dia 27 de agosto serão ouvidos Silval Barbosa, Silvio Cezar Corrêa Araújo e Cesar Roberto Zilio. No dia 28 de agosto, Pedro Elias Domingos de Mello, Juliano Cezar Volpato e Valdísio Juliano Viriato. No dia 29 de agosto, Edésio Corrêa, Alaor Alvelos Zeferino de Paula, José de Jesus Nunes Cordeiro e Diego Pereira Marconi.

Exceção de Suspeição

Francisco Faiad comprovou que Selma não estava atuando com imparcialidade, teria “ânsia” em condená-lo e que ela se utilizaria das ações judiciais para ganhar visibilidade e fomentar uma eventual carreira política.
 
A tese foi acatada pela Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Novos autos para recomeçar a instrução contra o ex-presidente da OAB-MT ainda serão gerados. 
 
5ª fase
 
A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso deflagrou, no dia 14 de fevereiro de 2017, a 5ª fase da Operação Sodoma.
 
A ação investigou fraudes em licitação, desvio de dinheiro público e pagamento de propinas, realizados pelos representantes da empresa Marmeleiro Auto Posto LTDA e Saga Comércio Serviço Tecnológico e Informática  LTDA, em benefício da organização criminosa comandada pelo ex-governador, Silval da Cunha Barbosa.
 
Conforme o Ministério Público, organização criminosa liderada pelo ex-governador teria cobrado propina de empresários, entre os anos de 2011 e 2014, para fraudar licitações e manter contratos com uma empresa de fornecimento de combustível.
 
Ao todo, o grupo teria desviado R$ 8,1 milhões das secretarias de Administração (extinta SAD e atual Secretaria de Gestão) e de Transporte e Pavimentação (extinta Setpu e atual Secretaria de Estado de Infraestrutura).
 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • DOMINGOS SANTANA DA CRUZ
    11 Jul 2019 às 10:52

    DAQUI A POUCO ESSE CIDADÃO ENTRA COM AÇÃO CONTRA O ESTADO POR DANOS MORAIS,POR ISSO QUE NO NOSSO PAÍS O CRIME COMPENSA, NINGUÉM E CONDENADO, E QUEM QUER APLICAR A LEI O INDICIADO PEDE SUSPENSÃO POR SER INIMIGO.

  • PEPEU
    10 Jul 2019 às 12:58

    Só enrolação. Esta é nossa JUSTIÇA. cega/muda mas..........................

Sitevip Internet