Olhar Jurídico

Segunda-feira, 22 de julho de 2019

Notícias / Civil

MP apura casos de empréstimos consignados feitos sem consentimento em nome de indígenas

Da Redação - Vinicius Mendes

11 Jul 2019 - 16:11

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

MP apura casos de empréstimos consignados feitos sem consentimento em nome de indígenas
A Procuradoria Especializada na Defesa da Cidadania e do Consumidor provocou a Promotoria de Justiça Cível de Água Boa (a 730km de Cuiabá) a apurar casos envolvendo indígenas idosos que haviam, supostamente, celebrado contratos de empréstimos consignados com diversas instituições financeiras na comarca. 
 
A Promotoria encaminhou ofício aos bancos solicitando esclarecimentos sobre os empréstimos e que encaminhem os documentos referentes à contratação. As agências estariam contraindo empréstimo sem consentimento dos indígenas.
 
Leia mais:
Empresa envolvida em fraudes na Caravana da Transformação busca acordo para ressarcir danos
 
O Ministério Público de Mato Grosso requisitou também a instauração de inquérito policial para apurar a suposta prática de crime de fraude financeira, no qual agências bancárias de Água Boa estariam contraindo empréstimos em nome de indígenas sem o consentimento deles, conforme narram as dezenas de ações declaratórias de inexistência de relação jurídica e de débito cumulada com repetição de indébito e indenização por danos morais ajuizadas. O inquérito foi instaurado pela Delegacia de Polícia de Água Boa em março deste ano.
 
A Promotoria de Justiça de Água Boa aguarda tanto a conclusão do inquérito quanto as respostas dos bancos para, com base nas informações levantadas, verificar a possibilidade de ajuizar ação civil pública contra as instituições bancárias. 
 
Concomitantemente, a Procuradoria Especializada na Defesa da Cidadania tem se manifestado, de maneira reiterada, favoravelmente à declaração de inexistência de relação jurídica e de débitonas ações em trâmite. E o Tribunal de Justiça de Mato Grosso vem acatando as manifestações e decidindo em favor da parte autora.
 

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet