Olhar Jurídico

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Criminal

OAB promete acompanhar audiência de militares suspeitos por grampos

Da Redação - Arthur Santos da Silva

15 Jul 2019 - 11:30

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

OAB promete acompanhar audiência de militares suspeitos por grampos
A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT) vai acompanhar as audiências do dia 16 e 17 de julho em processo contra militares envolvidos na Grampolândia Pantaneira. A informação foi confirmada pelo advogado Leonardo Campos, presidente da entidade.
 
Leia também 
Paira uma nuvem sombria sobre o Ministério Público, afirma presidente da OAB-MT


Conforme explicado ao Olhar Jurídico, a Ordem ainda está decidindo se acompanhará presencialmente ou se fará requerimento posterior para examinar as gravações do caso.

A OAB foi quem ofereceu notícia-crime, em 2017, solicitando investigações sobre suposto esquema de interceptações telefônicas ilegais. A notícia-crime abrange também promotores de Justiça suspeitos.
 
Leonardo Campos declarou na última semana que “paira uma nuvem sombria” sobre o Ministério Público (MPE) quando o assunto é o esquema de interceptações clandestinas investigadas no caso conhecido como grampolândia pantaneira “O Ministério Público precisa dizer o motivo que ele não quer que a OAB acompanhe. E que não me venha com argumentos jurídicos. Esses já foram superados. Os argumentos jurídicos já estão conhecidos”, disse na ocasião.

A provocação foi endereçada ao procurador de Justiça Domingos Sávio, coordenador do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) Criminal. A Justiça de Mato Grosso) negou pedido de Sávio para retirar três Procedimentos Investigatórios Criminais (PICs) contra promotores suspeitos de interceptações dos autos da notícia-crime oferecida pela OAB.
 
O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), esclareceu que desmembrar os procedimentos contra membros do Ministério Público da notícia-crime seria o mesmo que investigar “às escuras, entre quatro paredes”.

Ação contra militares

No processo corrente na Justiça Militar e conhecido como grampolândia pantaneira, são réus os coronéis Zaqueu Barbosa, Evandro Alexandre Ferraz Lesco, Ronelson Jorge de Barros, o tenente-coronel Januário Antônio Batista e o cabo Gerson Corrêa Júnior.
 
Reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, revelou na noite de 14 de maio de 2017 que a PM em Mato Grosso grampeou de maneira irregular uma lista com dezenas de pessoas que não eram investigadas por nenhum crime.  

A matéria destacou como vítimas justamente a deputada estadual Janaína Riva, além do advogado José do Patrocínio e o jornalista José Marcondes Neto, conhecido como Muvuca.

O esquema de arapongagem já havia vazado na imprensa local após o início da apuração de Fantástico. 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • José
    15 Jul 2019 às 13:00

    Esse advogado está em campanha ou o Olhar Direto gosta muito dele? Todos os dias na mídia, não e um certo exagero?

  • AVANÇA MT
    15 Jul 2019 às 12:52

    os processos dos outros OAB não acompanha, não supervisiona , muitos ficam mofando nos foruns do estado , juízes deveriam ter prazos

  • É OAB, credilidade ZEROOO!!!
    15 Jul 2019 às 12:15

    Tentando Desmoralizar o MP para facilitar os seus "Clientes" como o FAIAD, bom lembrar que o OAB é feita por Advogados e todos tem interesse em um MP Fragilizado. #mpforte

  • E o Caso do FAIAD?? Por que o Silencio Presidente?
    15 Jul 2019 às 12:09

    E o Caso do FAIAD?? Por que o Silencio Presidente? Dois Pesos e Duas Medidas??

Sitevip Internet