Olhar Jurídico

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Criminal

Câmara Criminal absolve agente prisional acusado de facilitar fuga de pistoleiro de Arcanjo

Da Redação - Arthur Santos da Silva

15 Jul 2019 - 17:18

Foto: Florentino Pereira/ Olhar Direto

Câmara Criminal absolve agente prisional acusado de facilitar fuga de pistoleiro de Arcanjo
A Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) absolveu o ex-agente penitenciário Augusto Alexandre de Barros Santa Rita, acusado de facilitar a fuga do ex-policial militar Célio Alves na Penitenciária Central do Estado (PCE).
 
Leia também 
Juíza declara nula estabilidade de servidora da ALMT concedida há 19 anos


A decisão, proferida no último dia 10 de julho, reverte sentença do  Juiz Jorge Tadeu, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, que condenou o réu a dois anos e seis meses de reclusão em 2018.
 
Com mais de 80 anos de condenações por assassinatos e outros crimes, Célio era considerado um dos pistoleiros de João Arcanjo Ribeiro, bicheiro e chefe do crime organizado em Mato Grosso.
 
Segundo os autos, com auxílio de Augusto, que era agente prisional, o pistoleiro conseguiu acesso à área restrita aos presos que não ocupavam as celas especiais. Assim, Célio dirigiu-se ao portão principal.
 
O fugitivo percorreu mais de 130 metros e, ao chegar aos fundos do presídio, com o auxílio de uma corda de aproximadamente 12 metros de cumprimento deixada junto ao muro da penitenciária por seus comparsas, conseguiu escalar o muro.
 
Célio
 
O ex-policial foi recapturado no dia sete de julho de 2007 pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), formado por policiais militares e promotores, em parceria com o Grupo Especial de Fronteira (Gefron).

Ele foi localizado no município de Cáceres, próximo às localidades conhecidas como Avião Caído e Roça Velha.
 
 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • EDSON LIMA
    15 Jul 2019 às 20:18

    Trabalhei com AUGUSTO Molocotão.augusto é um bom agente trabalha certo como manda as leis de execução penal. Nunca tive dúvidas de sua inocência. Valeu( MOLOCOTÃO)

  • Fudum
    15 Jul 2019 às 20:07

    Glória a Deus guerreiro..

Sitevip Internet