Olhar Jurídico

Segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Gerson acusa Gaeco de orquestrar operação contra ex-prefeito de Sinop, atual deputado federal

Da Redação - Arthur Santos da Silva / Da Reportagem Local - Vinicius Mendes

17 Jul 2019 - 16:55

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Gerson acusa Gaeco de orquestrar operação contra ex-prefeito de Sinop, atual deputado federal
O cabo Gerson Correia Junior, réu na Grampolândia Pantaneira, afirmou em depoimento que a operação Sorrelfa, ocorrida em setembro de 2016, contra o então prefeito de Sinop e atual deputado federal, Juarez Costa (MDB), foi politicamente orquestrada pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE). Mesmo com a operação em período eleitoral, em 2016 Rosana Martinelli se elegeu com o apoio de Juarez.

Leia Mais:
Bulhões, Marco Aurélio e Frungilo vazaram informações por apelo midiático, diz Gerson

“Sobre o modus operandi de identificar terminais telefônicos que foram objeto de investigação, quero dizer que este modo de atuar se arrasta  há muito tempo, antes, quando eu estava e depois que eu saí. Eu estava lá e continuou até a deflagração, com interceptação, contra o ex-prefeito de Sinop, Juarez Costa. Este mesmo modus operandi, de pegar decisão alheia a investigação e inserir dados, ela é demonstrada classicamente nesta investigação”, disse em depoimento nesta quarta-feira (17).

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), órgão do Ministério Público, realizou no dia 15 de setembro de 2016 busca e apreensão na casa do então prefeito de Sinop, Juarez Costa, com o objetivo de investigar crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

O interrogatório 

O juiz da Décima Primeira Vara Criminal Especializada em Justiça Militar de Cuiabá, Marcos Faleiros, ouve nesta quarta-feira (16) o cabo da Polícia Militar Gerson Corrêa Júnior. Reinterrogatório é conduzido no caso conhecido como Grampolândia Pantaneira.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet