Olhar Jurídico

Quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Notícias / Criminal

Tribunal de Justiça anula decisão que condenou Bosaipo a 18 anos de prisão

Da Redação - Arthur Santos da Silva

13 Ago 2019 - 16:35

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Tribunal de Justiça anula decisão que condenou Bosaipo a 18 anos de prisão
A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) anulou nesta terça-feira (13), por unanimidade, condenação de 18 anos e 4 meses de reclusão do ex-deputado estadual e ex-conselheiro do Tribunal de Contas (TCE), Humberto Bosaipo.
 
Leia também 
Justiça admite vídeo de suposta confissão como prova em ação contra Avallone por compra de voto


A atual senadora pelo PSL, Selma Arruda, quando atuava na Sétima Vara Criminal de Cuiabá, condenou o ex-deputado por desvio e lavagem de dinheiro na Assembleia Legislativa. A decisão foi dada no final de 2017. A magistrada determinou regime fechado para cumprimento inicial da pena, mas o político recorreu da sentença em liberdade.
 
De acordo com a ação penal, instaurada pelo Ministério Público Estadual (MPE), o esquema foi deflagrado na Operação Arca de Noé, em 2001, que teve como alvo principal o ex-chefe do crime organizado em Mato Grosso, João Arcanjo Ribeiro.
 
Durante as investigações, foram encontrados diversos cheques oriundos da Assembleia na empresa Confiança Factoring, que pertencia a Arcanjo. O esquema em questão, segundo o MPE, funcionou por meio da empresa Edlamar Medeiros Sodré ME, que recebeu 32 pagamentos suspeitos entre julho de 2000 e novembro de 2002.
 
Bosaipo afirmou em pedido de suspeição que Selma Arruda teria orientado uma servidora do Poder Judiciário a negar os pedidos da defesa do ex-parlamentar. 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Enoque
    14 Ago 2019 às 10:08

    Em MT não há fronteira entre a legalidade e a ilegalidade. Ladrão pode virar homem de bem e vice-versa. Ninguém mas acredita na Justiça.

  • Paulo Mattos
    13 Ago 2019 às 18:51

    Mato Grosso está repleto de bandidos contumazes, condenados em primeira e segunda instância, que causaram definitivos prejuízos em nossa economia e, por consequência, atravancando o nosso desenvolvimento, com reflexos diretos em nossa sociedade. A duras penas estamos conseguindo, todos juntos, e muito embora os descontentamentos, soerguer-nos como Estado pujante e viável economicamente, com condições de distribuir suas riquezas aos nossos habitantes. Silval Barbosa,Éder de Moraes, são alguns dos exemplos mais reluzentes da bandidagem impune. Ou punidos de mentirinha, num deboche ao nosso povo. Estão ai exercendo suas funções empresariais, cada vez mais ricos, investindo o dinheiro, e não foi pouco, que nos roubaram. Por quê Humberto Bosaipo, um "ladrão de galinhas" face a esses dois e mais uma centena de larápios, deveria ser punido com uma pena tão extensa e tão injusta ? Desta feita, agiu muito bem o TJ.

  • João bicudo
    13 Ago 2019 às 18:43

    Entrou em ação o sujeito da mala preta,

  • DOMINGOS SANTANA DA CRUZ
    13 Ago 2019 às 18:38

    DAQUI A POUCO ESSE CIDADÃO ENTRA COM AÇÃO CONTRA O ESTADO DE MATO GROSSO POR DANOS MORAIS, E GANHA UMA BOA GRANA, PORQUE AQUI,BASTA UMA TESTEMUNHA MENTIR QUE UM PROCESSO QUE LEVOU ANOS PARA SER JULGADO NADA VALE CONTRA O HOMEM QUE DESVIOU MILHÕES DE REAIS DA ASSEMBLEIA DE MT.

Sitevip Internet