Olhar Jurídico

Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Notícias / Criminal

Desembargador aposentado por venda de sentença pede terceira autorização para viagem

Da Redação - Arthur Santos da Silva

31 Ago 2019 - 16:44

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Desembargador aposentado por venda de sentença pede terceira autorização para viagem
Desembargador aposentado compulsoriamente por venda de sentença, Evandro Stábile pediu pela terceira vez autorização para viagem com propósito de trabalho em Tangará da Serra. O reeducando cumpre pena no regime semiaberto e precisa de aval da Vara de Execução Penal.

Leia também 
Associação de servidores da PCE pede restituição de R$ 60 mil apreendidos durante operação


O desembargador atua como assistente jurídico em Cuiabá, com carga de 30 horas semanais, no escritório Advocacia Maluf & Sasaki.

Stábile estava preso desde setembro de 2018 em consequência de uma pena de 6 anos. Ele ganhou liberdade no dia 20 de maio. A progressão do regime fechado ao semiaberto foi determinada levando em consideração o cálculo automático do Sistema Eletrônico de Execução Unificada (Seeu).

Requisitos subjetivos também foram considerados. Não houve notícia de falta grave ou média no período em que o desembargador esteve na prisão. Ex-presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), ele foi condenado por aceitar e cobrar propina em troca de decisão judicial.      

O crime de corrupção passiva foi descoberto no curso das investigações da operação Asafe, na qual a Polícia Federal apurou um esquema de venda de sentenças.
 
Na época da condenação, em 2015, a relatora da ação penal, ministra Nancy Andrighi, apontou que o desembargador aceitou e cobrou propina para manter a prefeita de Alto Paraguai (218 km a médio-norte de Cuiabá) no cargo.

Ela perdeu as eleições, mas o vencedor teve o mandato cassado por suposto abuso de poder econômico.  

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Joao Soares
    01 Set 2019 às 15:47

    Deveria estar na cadeia, pois é criminoso como qualquer, mas no judiciário quando o Juiz comete crime a prisão dele é aposenta lo. que belo país é esse. Tupiniquim. Muda Brasil

  • Victor Hugo
    01 Set 2019 às 06:01

    Enquanto isso os coxinhas trouxas trabalharm pra sustentar aposentadoria desse desembargador.

  • ELI
    01 Set 2019 às 03:45

    QUE PORTUGUÊS EM EDITORES, COERÊNCIA, COESÃO NEXO ALGUM, VIRGULA NEM SE FALA. NADA HAVER ESSE TITULO , TA EXPLICADO PORQUE AS NOTICIAS NÃO SÃO COERENTES NA MAIORIA DAS VEZES, QUE FACULDADE ESTÃO FORMANDO ESSE POVO. "Desembargador aposentado por venda de sentença"

  • Victor Hugo
    31 Ago 2019 às 21:57

    Paneleiros coxinhas e Bolsominions relincharam para aprovar reforma da previdência e esse judiciário que vende sentença foi aposentado com mais alto salário. Votaram no Bolsonaro? Aguentem caladinhos.

  • Diego
    31 Ago 2019 às 19:09

    Gente que notícia mais vazia !! O cara está comprometido com a nova vide dele !! Vcs são fracos nas reportagens né !! Tanta coisa legal pra falar aqui ../ quem quer saber da vida de ex desembargador que viaja !!! Vcs estão piores que a Globo

  • Antônio
    31 Ago 2019 às 17:56

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet