Olhar Jurídico

Quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Notícias / Criminal

Audiência de ação contra tenente Ledur é adiada pela 3ª vez consecutiva este ano

Da Redação - Vinicius Mendes

16 Set 2019 - 16:15

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Audiência de ação contra tenente Ledur é adiada pela 3ª vez consecutiva este ano
A Sessão de Instrução do processo contra a tenente Izadora Ledur Souza Dechamps, acusada de torturar e causar a morte de Rodrigo Claro em novembro de 2016, que estava marcada para esta segunda-feira (16) foi reagendada para o próximo dia 4 de novembro. Só neste ano as audiências já foram canceladas três vezes. A última sessão sobre o caso ocorreu em 16 de abril.
 
Leia mais:
Juíza nega retirada de tornozeleira de membro de quadrilha que ostentava dinheiro roubado de bancos
 
As testemunhas de defesa de Ledur foram ouvidas nos dias 15 e 16 de abril deste ano. A militar deveria ter sido ouvida no último dia 30 de abril, mas a sessão foi cancelada. A nova audiência então foi marcada para o dia 5 de agosto, mas acabou sendo reagendada para o dia 16 de setembro. O juiz Marcos Faleiros, da 11ª Vara Criminal, argumentou que está respondendo cumulativamente pela 11ª Vara Criminal e 10ª Vara Criminal.
 
A audiência que estava prevista para às 13h30 de hoje, porém, também não aconteceu. No processo o magistrado cita que a sessão foi redesignada “diante da impossibilidade do comparecimento da defesa constituída”. A Sessão de Instrução então foi marcada para o próximo dia 4 de novembro, às 14h.
 
A mãe de Rodrigo, Jane Claro, lamentou o novo adiamento e disse que tem se decepcionado com a Justiça e com as leis brasileiras, porém tem fé que Ledur ainda será condenada.

"Mais uma vez foi cancelada a audiência que seria realizada na data de hoje, dia 16/09/19. A impressão que tenho enquanto mãe, é que as leis Brasileiras foram feitas pensando somente nos benefícios aos bandidos e punindo cada dia mais as famílias vítimas da Violência. Ficamos tristes com isso,  a Justiça dorme, enquanto isso essa mulher chamada Ledur que nos causou tamanha dor, segue sua vida normalmente, certamente nem se lembra que devido a atitudes estúpidas dela, um jovem perdeu sua vida, uma família sofre dia e noite a falta de um jovem que para ela não tinha nenhum valor, mas que sempre foi muito amado e enchia nossas vidas de alegria. Viveríamos uma realidade diferente se a Justiça fosse mais ativa, verdadeira como rege a constituição. Mesmo com todos esses adiamentos, mesmo contrariados com essa morosidade, seguimos firmes na nossa luta, pois desde o início de tudo a quase 3 anos, só buscamos por essa Justiça e eu creio que em nome de Jesus, ainda a verei acontecer mesmo com toda sua deficiência".

O caso
 
Rodrigo Patrício Lima Claro, de 21 anos, ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e faleceu por volta de 1h40 do dia 16 de novembro de 2016. Ele teria sido dispensado no final do treinamento do curso dos bombeiros, após reclamar de dores na cabeça e exaustão. O jovem teria passado por sessões de afogamento e agressões por parte da tenente Izadora ledur.
 
O Corpo de Bombeiros informou que já no Batalhão ele teria se queixado das dores e foi levado para a policlínica em frente à instituição. Ali, sofreu duas convulsões e foi encaminhado em estado crítico ao Jardim Cuiabá, onde permaneceu internado em coma, mas acabou falecendo.


Atualizada às 16h40.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Marcos Silva
    17 Set 2019 às 08:10

    Eh minha gente, essa é a nossa justiça. Querem apostar quanto que na próxima audiência ( se não for adiada de novo ) ela será absolvida e daqui à pouco ela vai estar com uma patente de coronel ainda, mandando em todo mundo.

  • WILTON SANTOS DA SILVA
    17 Set 2019 às 07:09

    não existe justiça pra quem tem "bala na agulha"(dinheiro), em qualquer país sério essa senhora já estaria cumprindo sua pena e teria sido expulsa da corporação, o sistema nesse país enquanto não mudar sempre terá essa coisas acontecendo.

  • DOMINGOS SANTANA DA CRUZ
    17 Set 2019 às 06:21

    DAQUI A POUCO ELA ENTRA COM AÇÃO CONTRA O ESTADO, POR DANOS MORAIS, E AINDA E PROMOVIDA A CAPITÃO.

  • Carcereiro
    16 Set 2019 às 23:40

    A tenente Ledur e inocente.... SÓ QUEM E CEGO NÃO....BREVE CAPITÃ....ELA ME FAZ lembrar daquele coronel que dizia que soldado ganhava bem ....que a esposa era professora

  • Justiceiro
    16 Set 2019 às 22:25

    Dê logo o perdão judicial, fica bem menos feio. Diz que ela não matou o aluno, ele simulou que morreu e tá na praia. Tudo armação pra cima dessa pobre inocente.

  • Cidadão
    16 Set 2019 às 22:05

    Pizzaaaaaaa quentinhaaaaaa...... olha a pizzzaaaa....

  • José
    16 Set 2019 às 20:49

    Nenhum dos denunciados pelas mortes do Soldado Abinoão Oliveira e do Bombeiro Militar Rodrigo Claro foi expulso da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros até a presente data (16/09). Gov. Mauro Mendes, assim não dá! Espero que os denunciados sejam condenados, inclusive com a perda do cargo público. Chega de impunidade neste Estado!

  • paulo roberto
    16 Set 2019 às 19:42

    Eita "Justiça" morosa, caolha e corrupta, se ela fosse um Cabo ou Sargento, já estaria julgada há muito tempo atrás, e estaria atrás das grades......Deve ter um costa quente dos bons....

  • Crítico
    16 Set 2019 às 19:16

    Conivência?

  • MT mais forte
    16 Set 2019 às 18:44

    Infelizmente este tipo de situação é inadmissível em pleno século ficar protelando para ocorrer, já perguntaram para os pais sobre isso. Tem realizar logo este julgado pois fará justiça

Sitevip Internet