Olhar Jurídico

Quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Notícias / Criminal

Desembargador deixa processo contra Oscar Bezerra por desvio de verba e apropriação indébita

Da Redação - Arthur Santos da Silva

16 Set 2019 - 17:33

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Desembargador deixa processo contra Oscar Bezerra por desvio de verba e apropriação indébita
O desembargador Rondon Bassil Dower Filho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), declinou competência e mandou para o juízo da Terceira Vara da Comarca de Juara (638 km de Cuiabá) um processo contra o suplente de deputado estadual, Oscar Bezerra (PV). A decisão é desta segunda-feira (16). O suplente está em exercício na Casa de leis devido ao afastamento para tratamento de saúde do deputado Faissal Calil (PV).

Leia também 
Oscar Bezerra é julgado criminalmente no TJMT por fraudar licitação

 
Oscar é acusado de, entre setembro e dezembro de 2008, na condição de prefeito de Juara, ter cometido os crimes de apropriação indébita previdenciária e desvio e aplicação indevida de rendas ou verbas públicas.
 
Para decidir sobre o declínio de competência, Bassil  esclareceu que o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) fixou a tese de que “o foro por prerrogativa de função aplica-se apenas aos crimes cometidos durante o exercício do cargo e relacionados às funções desempenhadas”.
 
“Nesse panorama, portanto, impõe-se a devolução do caderno processual ao Juízo de primeira instância, único competente para, no caso concreto, processar e julgar mais este denunciado”, afirmou o desembargador.
 
Oscar

O suplente de deputado Oscar Bezerra foi empossado no último dia 21 de agosto na vaga do deputado Faissal Calil, que se afastou das atividades parlamentares por um período de 120 dias para tratamento de saúde.
 
Oscar Bezerra disputou a reeleição no ano passado, mas não conseguiu se reeleger, ficando com 11.827 votos, o que lhe garantiu a suplência.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rocha
    16 Set 2019 às 21:30

    Ex político em atividade !! Nossa fracasso total !!

Sitevip Internet