Olhar Jurídico

Sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Notícias / Geral

MPE investiga se laboratório fraudava exames do plano de saúde Unimed Cuiabá

Da Redação - Arthur Santos da Silva

23 Set 2019 - 11:09

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

MPE investiga se laboratório fraudava exames do plano de saúde Unimed Cuiabá
O promotor de Justiça Ezequiel Borges de Campos, membro do Ministério Público de Mato Grosso (MPE), instaurou inquérito civil no dia quatro de setembro para investigar a empresa INAC - Instituto de Análises Clínicas Ltda. Existe suspeita sobre prática de atos que lesam usuários do plano de saúde Unimed Cuiabá.

Leia também 
Condenados por desvios na ETA Tijucal durante gestão Wilson Santos devolverão R$ 3,6 milhões

 
Conforme informações preliminares, o INAC teria burlado o sistema da Unimed para incluir indevidamente exames não solicitados pelos usuários do plano. As fraudes foram identificadas em exames fictícios que teriam sido coletados sob forma domiciliar.
 
Ainda segundo investigação, o INAC instalou posto de coleta em diversas clínicas médicas. A remuneração devida pelo uso do espaço seria proporcional ao faturamento obtido pelo laboratório. Assim, a parceria incentiva a prescrição desnecessária e indiscriminada de exames pelos proprietários das clínicas.
 
“Os fatos, se efetivamente comprovados, atingem e cerceiam direitos básicos dos consumidores contra métodos comerciais desleais, passível de reparação patrimonial e moral, já que penalizam o conjunto de usuário”, afirmou o promotor.
 
Conforme apurado pelo Olhar Jurídico, a Unimed Cuiabá já rompeu contratos com o INAC - Instituto de Análises Clínicas Ltda.

Outro lado

A assessoria jurídica do INAC informa que a Unimed apresentou uma denúncia VAZIA E SEM PROVAS junto ao Ministério Público com o único objetivo de se esquivar de suas obrigações contratuais com o Laboratório e desviar o foco da Ação Judicial e da Representação junto a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que já tinham sido protocoladas pelo INAC.

O INAC possui Contrato com a Unimed há quase 10 anos e, nesse período, a Unimed realizou diversas auditorias junto ao Laboratório, as quais nunca resultaram em penalização ou mesmo recomendação. Tanto que o Contrato foi renovado no final de 2018 para viger até março de 2021.

O laboratório nega a existência de fraude ou de qualquer procedimento ilegal, pois sempre pautou suas relações com os profissionais médicos conforme os preceitos éticos. E repudia as falsas afirmações da Cooperativa que acusa o Laboratório e 20 profissionais médicos de reconhecida competência e honestidade de fraudarem o sistema que é gerenciado único e exclusivamente pela UNIMED.

Ressalta ainda que de acordo com a Súmula 16 da ANS, cabe ao médico e não ao laboratório, e muito menos a operadora UNIMED, prescrever os exames necessários para o tratamento de cada paciente. Tal posicionamento também é defendido pelos Conselhos Federal e Regionais de Medicina.

O cidadão-usuário que paga caro pelo seu plano de saúde tem o direito de fazer os exames que foram devidamente solicitados pelo seu médico de confiança.

Limitar a quantidade de exames de cada paciente para se enquadrar nas “diretrizes comerciais” da UNIMED é ilegal.

De acordo com a Constituição Federal, a saúde é um Direito Fundamental. Quem precisa dar esclarecimento aos cidadãos-usuários é a Unimed, que está sendo investigada pela ANS, sobre esse assunto.

O INAC, finaliza, confiando na Justiça e na investigação imparcial do MP.


Nota Unimed

Diante dos fatos noticiados nos meios de comunicação do Estado a respeito do descredenciamento do Laboratório INAC (Instituto de Análises Clínicas) a Unimed Cuiabá Cooperativa de Trabalho Médico esclarece:
 
A Agência Nacional de Saúde (ANS) arquivou procedimento administrativo instaurado pelo INAC, que alegou irregularidades no descredenciamento feito pela Unimed Cuiabá. O órgão regulador não identificou existência de infração por parte da cooperativa, que comprovou ter seguido as normas reguladoras do mercado de saúde suplementar.
 
O descredenciamento do Laboratório ocorreu após denúncias de irregularidades na solicitação de exames.

 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Detetive
    23 Set 2019 às 21:00

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet