Olhar Jurídico

Sexta-feira, 06 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Membro de grupo de extermínio, ex-PM condenado a 105 anos fugiu 11 dias antes de novo julgamento

Da Redação - Arthur Santos da Silva

08 Out 2019 - 14:09

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Membro de grupo de extermínio, ex-PM condenado a 105 anos fugiu 11 dias antes de novo julgamento
O ex-policial militar Helbert de França Silva, acusado de compor grupo de extermínio em Várzea Grande, tem mais um júri popular marcado para ocorrer no dia 17 de outubro. Condenado a mais de 100 anos, Helbert fugiu do batalhão da Ronda Ostensiva Tático-Móvel (Rotam) no domingo (6).

Leia também 
Condenado a 100 anos de prisão e alvo da 'Mercenários', ex-cabo foge de batalhão da Rotam

 
A informação sobre a fuga foi confirmada pela Secretaria de Segurança durante a segunda-feira (8). O ex-policial militar e o agente prisional Edervaldo Freire serão julgados na próxima semana por crime praticado em 2016, ocasião do assassinato de Eduardo Rodrigo Beckert.
 
Membros do grupo de extermínio denominado 'Os Mercenários' já acumulam mais de cem anos de condenação. Helbert foi condenado a 75 anos de prisão pelos crimes de homicídio consumado contra três vítimas e mais uma tentativa contra uma quarta pessoa. Esses crimes tornaram-se conhecidos da população como a Chacina do Cristo Rei.
 
Ainda em 2019, o ex-policiail sofreu condenação a 30 anos de prisão pelo homicídio qualificado praticado contra Luciano Militão da Silva e por tentativa de homicídio contra Célia Regina da Silva.

Mercenários
 
O MPE alega que o grupo 'Os Mercenários', formado por aproximadamente seis policiais, além de civis, se associaram mediante estrutura ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagens de qualquer natureza, mediante a prática de infrações penais.

Conforme apurado durante as investigações, os integrantes do grupo possuíam todo um aparato para cometer crimes, como armamento sofisticado, rádio amador, silenciador de tiros e diversos carros e motocicletas com placas frias. Estima-se que dezenas de pessoas tenham sido vítimas do grupo.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet