Olhar Jurídico

Segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Parecer do MP admite filha de vítima em processo contra médica acusada por morte de verdureiro

Da Redação - Arthur Santos da Silva

17 Out 2019 - 14:08

Foto: Reprodução

Parecer do MP admite filha de vítima em processo contra médica acusada por morte de verdureiro
O promotor de Justiça Vinicius Gahyva Martins, membro do Ministério Público de Mato Grosso (MPE), emitiu parecer no dia 15 de outubro se manifestando de forma favorável ao pedido de inclusão de Francinilda da Silva Lucio como assistente de acusação no processo pela morte do verdureiro Francisco Lucio Maia. Ela é filha da vítima. A ação julga a médica Leticia Bortolini.

Leia também 
Alan Malouf comprova escrituração e apartamento de R$ 2 milhões será leiloado

 
“Em atenção ao despacho de fl. 777, o Ministério Público não se opõe ao requerimento de fl. 425, no sentido de admitir Francinilda da Silva Lucio, filha da vítima, como assistente de acusação, nos termos do artigo 268 c/c artigo 31, ambos do CPP”, afirmou o promotor.
 
O parecer será levando em conta na decisão do magistrado Flávio Miraglia Fernandes, da Décima Segunda Câmara Criminal de Cuiabá, responsável por conduzir o caso que pode ser concluído em júri popular.
 
O Ministério Público denunciou Bortolini pela morte causada em acidente. Conforme a denúncia, no dia 14 de abril de 2018, por volta das 19h35, na avenida Miguel Sutil, em frente a agência do Banco Itaú do bairro Cidade Verde, em Cuiabá,  a médica, “conduzindo veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool, em velocidade incompatível com o limite permitido para a via, assim como assumindo o risco de produzir o resultado, matou a vítima Francisco Lucio Maia”. 
 
Ainda segundo o MP, após atropelar o verdureiro, a ré deixou de prestar socorro imediato à vítima, bem como afastou-se do local do acidente para fugir à responsabilidade civil e penal.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Embreagado
    17 Out 2019 às 23:24

    CRM cassa médico que comete ato no âmbito da medicina ! Este caso é algo da esfera judicial !

  • Danielle
    17 Out 2019 às 15:07

    Essa justica é mesmo engracada, a medica que conduzia o automovel matou ao lado estava seu companheiro ambos medicos e ambos omitiu socorro, o que seria um dever um juramento. Nao entendo porque ainda nao casou CRM deles. tinha camera e mesmo assim foi forjado a cena do crime e sua embreaguez.

Sitevip Internet